Uma por todas e todas por uma! (Heroínas, Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares)

28 agosto 2018
   Depois que a Pam Gonçalves fez o desafio de leitura de ler 30 minutos por dia, fiquei bem animada pra fazer e decidi começar por um livro fininho e acabei escolhendo, por coincidência, o livro que a própria Pam participou com um dos contos. Em Heroínas vemos três mulheres fortes que mesmo no começo da juventude já lutam pelos seus direitos e são bem inspiradoras, em três situações diferentes, mas com o mesmo propósito: mostrar que nós podemos fazer a diferença.



Heroínas
Laura Conrado, Pam Gonçalves, Ray Tavares
Editora: Galera Record
Ano: 2018
Páginas: 256
Classificação etária: +14 anos
Sinopse: Não faltam heróis. Dos clássicos às histórias contemporâneas os meninos e homens estão por todo lugar. Empunhando espadas, usando varinhas mágicas, atirando flechas ou duelando com sabres de luz. Mas os tempos mudam e já está mais do que na hora de as histórias mudarem também. Com discussões feministas cada vez mais empoderadas e potentes, meninas e mulheres exigem e precisam de algo que sempre foi entregue aos meninos de bandeja: se enxergar naquilo que consomem. Este é o livro de um tempo novo, um tempo que exige que as mulheres ocupem todos os espaços, incluindo a literatura.
 

   O primeiro conto é narrado pela Daniela, uma estudante do Ensino Médio que, assim como a mãe, pretende seguir a carreira como veterinária e sonha em trabalhar em uma ONG. Com muito esforço, ela se junta a mais duas mulheres incríveis e defendem juntas os bons tratos dos animais e uns esquemas que tentam acabar com a organização. Esse é meu conto favorito. Acho que me deu mais animação e me senti lendo meus romances quando tinha 13 anos de idade e estava entrando no Ensino Médio e queria ler sobre meninas nessa idade pra saber como que seria minha vida. Daniela é bem carismática e me conquistou de primeira com sua determinação.

"Tenho preguiça absurda de piadas com mulheres por razões óbvias: a) Eu sou uma. b) Eu admiro várias. c) Sou bem educada e bem informada acerca da igualdade de gêneros, por isso, claro, feminista. Qualquer piadinha sexista, misógina ou boba mesmo, chega a me dar ojeriza."


   Já no segundo conto, Marina é a garota mais certinha da escola, segundo os alunos. Filha de uma professora, ela sempre precisou seguir as regras e ser quem esperavam que ela fosse, até ser nomeada a cabeça da comissão da formatura, que precisava ser salva nas últimas semanas. É aí que Marina precisa pensar se vive para ela ou para os outros. Acho que desse conto também dá pra tirar uma moral bem legal. Temos que fazer o que realmente queremos ou nada na vida faz graça né? O plot twist no final da história também me agradou demais, meu primeiro contato com a escrita da Pam começou assim.. bem fofo. 

"Ainda estou descobrindo a mulher que quero me tornar, mas me sinto confortável por saber que vou, mas não sozinha."

   O último conto é o mais polêmico. Escrito pela Ray Tavares, a autora do meu queridinho Os 12 Signos de Valentina, esperei demais dele, já que era a autora que eu já conhecia entre as três que escreveram Heroínas. Roberta, a Robin Hood, é uma cracker que depois de ter levado umas tapas da vida e não ter sido apoiada por ninguém, resolveu se vingar e tirar dos ricos para dar pros pobres. Especificamente tirar do pastor que desviava dinheiro dos fiéis. O negócio nisso tudo é a seriedade do problema e eu gostei sim do conto, mas não me senti conectada com a Roberta tanto quanto das outras meninas do livro. Creio que o romance inusitado (e ao mesmo tempo mil vezes clichê) me pareceu forçado demais, sinceramente acho que se a Roberta ficasse sozinha provaria pra mim mesma que nós, mulheres, não precisamos de nenhum cara pra ser feliz, como todos os outros contos  do livro e maioria dos romances nacionais por aí. 

   Mas o livro é sinceramente um amorzinho. Cheguei a dizer que me lembrou o ritmo da Paula Pimenta, que me lembra muito mesmo meus primeiros livros lidos nacionais, lá na minha pré adolescência. Reconheço o clichê deles, claro, mas a essência real do livro de mostrar que todas nós somos heroínas por simples ações para ajudar os outros, os animaizinhos e até nós mesmas também. Já quero ler mais das autoras!

3 comentários

  1. Oi, Clarissa!
    Faz um tempo que esse livro está na minha wishlist, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Apesar de ouvir muitas coisas sobre a Pam, ainda não tive a oportunidade de ler nada dela e esse seria um começo bacana.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  2. Adoro a Pam, desde o tempo do Garota It, tão feliz ver ela alçando voos altos.
    Já li dois livros dela e nenhum dos de contos que ela participa.
    Quando vi essa capa me apaixonei ♥
    Já vi que é pra esperar clichês né rsrs mas se for bem contado e divertido eu leio numa boa.
    Paula Pimenta é outra queridinha. Amo muito! Já li a maioria dos dela. E pretendo presentear minha irmã de 14 anos! Inclusive com Heroínas tbm!
    Ôhh mundinho literário que sou apaixonada ♥

    xero
    adorei a resenha
    https://leayasnaya.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Clarissa
    Eu amei demais essa capa, ela é linda! Mas eu não gosto de livros com contos, não sei porque a leitura nunca flui e eu não consigo terminar. Infelizmente sempre tenho que deixar a curiosidade de lado em relação a esse tipo de livros.
    Beijo
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir

❤ Proibido usar palavras de baixo calão
❤ Não há moderação de comentários
❤ Deixe o link do seu blog para que eu também possa visitá-lo e segui-lo no Google Friends Connect!

por aqui...

algumas parcerias e informações