Clarissa Assis

20 primaveras, leonina e persistente. Estuda Comunicação Social, é apaixonada por livros, música, séries e culturas. Não gostava de chá, mas agora seu passatempo favorito é ler um bom livro tomando uma xícara de chá fumegante e meias fofinhas nos pés.

@proximaprimavera

Tal pai, tal filha: a jornada do pai da Malala com a educação (Livre para voar, Ziauddin Yousafzai)

 
Foto: Próxima Primavera

     Já faz um tempo que li esse livro, mas só agora vou conseguindo postar as resenhas acumuladas, porém muito importantes. Recebi esse livro da Companhia das Letras ano passado e a leitura foi tão maravilhosa quanto os outros dos livros da Malala que tive oportunidade de ler. Se liga aí no que eu achei desse.

Livre para voar
Ziauddin Yousafzai
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2019
Páginas: 168
Adicione no Skoob - Compre aqui: Amazon  Kindle -                                  Sinopse: Neste relato comovente sobre amor, paternidade e luta por direitos, Ziauddin Yousafzai, o pai da Malala, rememora sua história e sua longa batalha para que meninos e meninas tenham as mesmas oportunidades. Um livro para todos aqueles que desejam criar seus filhos num mundo mais justo e igualitário. Ziauddin Yousafzai tem motivos de sobra para ser um pai orgulhoso: Malala sobreviveu a um atentado do Talibã, ingressou na prestigiosa Universidade de Oxford e se tornou a mais jovem vencedora do prêmio Nobel da paz e uma das principais vozes da luta pelos direitos das mulheres. O que ele fez para criar uma menina tão extraordinária? A resposta é mais trivial do que se imagina: educou-a com amor, incentivo e gentileza — e sobretudo com a convicção de que sua filha era digna das mesmas oportunidades que os meninos recebem. Livre para voar é o relato inspirador de um menino gago que cresceu em uma pequena vila no Paquistão e se tornou um dos grandes ativistas pela igualdade de gênero. Exemplo para os pais que querem que seus filhos façam a diferença, Ziauddin mostra como o respeito e a educação são capazes de criar um mundo melhor para todas as crianças.
  Todo mundo conhece Malala Yousafzai e a contribuição dela pra educação mundial e luta pelo direito das meninas no Oriente Médio. Lendo Eu sou Malala, eu criei uma admiração inimaginável pelo pai dela, o Ziauddin. Por mais que ele não tenha aparecido tanto, consegui perceber pela narração da Malala, o quão o pai foi uma peça importante que fez com que ela se tornasse quem é hoje e também ter sido valente o suficiente pra enfrentar tudo que enfrentar.

Foto: Próxima Primavera

   Se eu puder nomear um homem que sinto total orgulho e felicidade por ter influenciado uma mulher a ser quem é, seria definitivamente Ziauddin. Fiquei muito surpresa ao ler seu relato - pequeno - em primeira pessoa com sua opinião sobre tudo que aconteceu com a filha e sobre a educação no Oriente Médio. Mesmo tendo nascido e sendo criado em uma sociedade machista, como já imaginamos que seja na região, Ziaudin cresceu diferente de seus irmãos e sempre foi ensinado a respeitar, independente de qualquer diferença, seja ela em relação à gênero, religião ou qualquer outra coisa. Aplaudi mentalmente o pai da Malala por tudo que ele passou nesse livro.

→ Resenha de Eu sou Malala, Malala Yousafzai

"Nasci menina num lugar onde rifles são disparados em comemoração a um filho, ao passo que as filhas são escondidas atrás de cortinas, sendo seu papel na vida apenas fazer comida e procriar." (Eu sou Malala)
→ Resenha de Longe de Casa, Malala Yousafzai

"Sou parte do grupo de pessoas que não teve escolha a não ser deixar sua casa para trás. E, juntas, nossas histórias se espalham pelo mundo ao mesmo tempo que permanecem firmes em nossos corações." (Longe de Casa)

     Confesso que não estava esperando isso. Imaginei que seria mais uma biografia, essa sendo uma de quem criou uma ganhadora do prêmio Nobel da Paz. Mas não, o próprio Ziauddin mereceria um Nobel por ter ele mesmo lutado contra o preconceito e permanência das mulheres nas escolas. Sua paixão pela educação é bem visível e eu saí marcando diversas passagens em que ele deixa bem claro que pra ele a educação é como vamos fazer do mundo um lugar melhor pra se viver. E por isso ele fez com que Malala priorizasse a educação desde criança, pra hoje acabar se tornando uma defensora mundial da mesma.


Foto: Próxima Primavera

Esse livro é mais que necessário, não só pra quem gosta da Malala, mas é uma baita lição de vida, de um professor do Oriente Médio, com seus costumes, visões e opiniões sobre questões sociais e políticas do mundo. Quero reler, sinceramente. 


Comentários

  1. Não conhecia o livro e fiquei encantada com sua resenha. É ótimo conhecer a batalha de alguém que luta por direitos :)

    Gravado na Memória

    ResponderExcluir
  2. Já ouvi falar muito sobre Eu Sou Malala (que, infelizmente, ainda não tive a oportunidade de ler, mas quero muito), porém nunca havia ouvido falar sobre esse do pai dela. Seu post me deixou ainda mais curiosa a respeito do trabalho da Malala, e também despertou minha curiosidade quanto a essa obra.
    Beijos, blog Mais um Capítulo .

    ResponderExcluir

Postar um comentário

❤ Proibido usar palavras de baixo calão
❤ Não há moderação de comentários
❤ Deixe o link do seu blog para que eu também possa visitá-lo e segui-lo no Google Friends Connect!