17 julho 2019
As lutas e conquistas por trás dos muros das universidades brasileiras (Boa noite, Pam Gonçalves)

As lutas e conquistas por trás dos muros das universidades brasileiras (Boa noite, Pam Gonçalves)

   Indecisões, escolhas, anseios e medos. A transição para a vida adulta não é e nunca foi fácil. O grande “X” da questão, após o Ensino Médio, é ser aprovado ou não em uma universidade concorrida. Esse é o dilema de grande parte dos jovens no Brasil. Infelizmente, as indecisões, escolhas, anseios e medos continuam mesmo após o nome na lista de aprovados.

Boa noite
Pam Gonçalves
Editora: Galera
Ano: 2016
Páginas: 240
Adicione no Skoob - Compre aqui: Saraiva  Amazon  Kindle
Sinopse: Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação - em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.


  Em Boa Noite, Pam Gonçalves descreve as dificuldades da vida adulta em um ambiente universitário tão conhecido pelos jovens atualmente. Infelizmente, é quase impossível não se identificar com cada personagem do livro. A protagonista Alina tem 18 anos de idade quando sai do interior para morar na cidade grande e estudar na tão sonhada universidade, que por conta de uma concorrência absurda, típica do sistema educacional brasileiro, ela tanto se esforçou para entrar e finalmente seguir uma carreira depois de alguns anos de muito estudo.

   Ninguém explicou para Alina como realmente é uma universidade. Muito estudo, professores rígidos e pressão do mercado de trabalho? Bem mais que isso. Como caloura de Engenharia da Computação, graduação majoritariamente masculina, Alina entra em contato com o machismo, desvalorização feminina no mercado e um outro universo junto à universidade com festas, álcool, drogas e sexo.

   O livro retrata, em primeira pessoa, a visão de uma adolescente recém graduada do Ensino Médio com sonhos e esperanças de ter uma vida universitária idêntica aos filmes de Hollywood com dormitório, um grande campus, alunos caminhando felizes pelo gramado e grandes festas universitárias. O cenário universitário brasileiro não é nada como o estereótipo americano e é descrito com toda a realidade que só um calouro poderia contar. As primeiras festas e farras que não resultam em nada além de uma grande ressaca para disputar com estudos, primeiras noites sem dormir estudando para provas com conteúdos além do que é humanamente possível de ser estudado e toda a pressão psicológica envolvendo o “depois”. Alina conhece seus colegas de casa: uma estudante de Comunicação Social, um estudante de Medicina e uma estudante de Administração. Áreas bem diferentes, mas tão semelhantes de tantas outras formas, pois um grande escândalo surge em toda a universidade: uma página de fofocas da universidade é criada com denúncias de estupros e assédio sexual envolvendo alunas.

“Sabe o que acontece com as garotas como eu que falam que foram estupradas por um cara como ele? Vão dizer que eu merecia. Que eu deveria agradecer. Que se eu denunciasse, ia acabar com a vida promissora do herdeiro de um dos médicos mais famosos do estado. Eu não tinha provas, Alina. Era a palavra dele contra a minha.”

   Assim como Alina, milhares de mulheres, apenas após 1887, ingressaram nas universidades públicas, graças à luta feminina. Entrar em uma graduação na área de exatas, por exemplo, mostra uma realidade extremamente machista por parte dos alunos e dos próprios professores, o que chega a ser ainda mais desafiador. Como apontado no texto “Feminismo e literatura: apontamentos sobre crítica feminista” de Cecil Jeanine Albert Zinani, Virginia Woolf “defende que os textos escritos por mulheres devem traduzir a experiência feminina, uma vez que ocupam uma posição social diferenciada”, o que claramente é visto quando Pam coloca sua experiência como mulher na voz da protagonista que vive dilemas que as mulheres sofrem a cada dia pelo machismo.* Além de toda a temática jovem e de caráter identitário, a autora, em seu primeiro livro solo, traz temáticas de grande importância para o público alvo do gênero new adult. O feminismo, a luta contra o assédio sexual, homofobia e bullying nas universidades está presente em todo o livro como um alerta e protesto. 

   A forma em que a autora aborda o assunto é adequada ao público, de forma leve, mas ao mesmo tempo ainda séria, dada a importância de debater o assédio no ambiente escolar, nas ruas, em casa e em todo lugar. Assim como dito no texto de Cecil, Pam busca firmar uma identidade feminina muito presente na universidade hoje em dia, porém ainda muito desvalorizada. A presença na mulher na universidade é uma conquista graças a luta feminina em busca de direitos igualitários, mas o respeito pelas mulheres no âmbito universitário e trabalhista ainda é rodeado de preconceitos e muito assédio. 

   O livro foi publicado em 2016 pelo selo Galera do Grupo Editorial Record e até hoje é lido diariamente por dezenas de jovens no Brasil. Pam começou sua carreira como youtuber literária, ou booktuber, e Boa Noite incentiva centenas de jovens a se interessarem pela leitura e consequentemente entenderem a importância do debate de determinados assuntos que ainda são considerados tabu. Mesmo sem aprofundar os tão diversos temas propostos, a ideia de expor, em forma de um livro para jovens, uma realidade tão nossa e falar sobre assédio de uma forma tão aberta é extremamente importante e necessária, o que torna o livro ainda mais especial.

*Esta resenha foi produzida como trabalho final da disciplina Teoria e Crítica Literária, do curso de Comunicação Social, da Universidade Federal de Pernambuco em 2018.2
10 julho 2019
Corações de luar e sorrisos de luz do sol (Mil beijos de garotos, Tillie Cole)

Corações de luar e sorrisos de luz do sol (Mil beijos de garotos, Tillie Cole)

   Já faz muuuito tempo que não apareço por aqui, mas agora voltei pra ficar e fazer vocês quererem ler mais e mais livros incríveis que já passaram pela minha mesa de cabeceira. Li Mil beijos de garotos no começo do ano e confesso que de início nem esperava muito, até que desgraçou minha cabeça tanto que me lembro até hoje das dores de cabeça que ficaram depois de eu soluçar o final inteiro. 

Mil beijos de garoto
Tillie Cole
Editora: Planeta
Ano: 2017
Páginas: 400
Adicione no Skoob - Compre aqui: Saraiva  Amazon  Kindle
Sinopse: Um beijo dura um instante. Mas mil beijos podem durar uma vida inteira. Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.
 

    Durante a infância, Poppy e Rune eram inseparáveis, faziam tudo juntos e compartilhavam planos para o futuro em que os dois estariam juntos, não importa se no amor ou na amizade. Mas quando Rune se muda de volta para a Noruega, seu país de nascença, Poppy precisa lidar com a falta que sente dele. Quando, aos 17 anos, o garoto volta a cidade onde deixou sua melhor amiga e confidente, só tem um objetivo: descobrir por que Poppy o deletou de sua vida após tantas promessas.

   É engraçado como esse livro era meu motivo de risada enquanto lia e depois virou um dos meus favoritos no Skoob! No início, como todo young adult meloso, a gente conhece o relacionamento bem juvenil de Rune e Poppy, cheio de frufrus e juras de amor que fala sério né gente? Crianças! Chega a ser ridículo ler tudo aquilo e saber que obviamente seria muita ilusão acreditar que tudo idealizado aos 7/8 anos vai mesmo acontecer. Quase desisti de ler, juro!

“Eu vou te dar mil beijos, Poppymin. Todos eles. Ninguém nunca vai beijar você, só eu.”⠀

   Mas o que te prende na leitura então? Todo o contexto dos mil beijos de garotos da Poppy. É impossível largar o livro sem saber como a história vai se desenrolar e chega um ponto em que você enlouquece pra saber o que vai acontecer e tudo mais. O mais interessante da história toda nem está  na sinopse e você descobre sozinho fazendo ligações do início do livro com o grande e louco final. 

   O final? Nem te falo. Tive que ler duas vezes pra realmente acreditar que é isso mesmo que a autora estava fazendo com meu coração e alma. Não posso dar spoiler, mas toda a minha desconfiança pelo mimimi do romancezinho no início foi um nada comparado aquele final desgraçador de mentes. Acho incrível quando alguns autores misturam uma pitada de elementos... digamos que diferentes com a realidade e agora considero Mil beijos de garoto um must read de verdade, você sendo adolescente ou não. A lição dele vai além de uma faixa etária só, sabe? Só lendo pra saber mesmo e eu não o consideraria meu favorito se ele não tivesse tocado uma parte de mim. 

"Ele me beijou até que não houvesse parte de mim que não soubesse a quem pertencia. Ele me beijou até que meu coração novamente se fundia ao dele - duas metades de um todo. (...) - Beijo trezentos e cinquenta e sete. Encostada na parede de casa... quando Rune tomou posse do meu coração. - Rune ficou imóvel, suas mãos se retesaram, e terminei com: - E meu coração quase explodiu. Aí ele chegou. O sorriso puro de Rune. Era radiante, largo e verdadeiro. Meu coração disparou com essa visão."

por aqui...

algumas parcerias e informações