RESENHA: A Hora da Estrela - Clarice Lispector

07 julho 2018
A Hora da Estrela 
Clarice Lispector
Editora: Rocco
Ano: 1977 (edição de 2008)
Páginas: 88
Classificação indicativa: Livre
Sinopse: A história da nordestina Macabéa é contada passo a passo por seu autor, o escritor Rodrigo S.M. (um alter-ego de Clarice Lispector), de um modo que os leitores acompanhem o seu processo de criação. À medida que mostra esta alagoana, órfã de pai e mãe, criada por uma tia, desprovida de qualquer encanto, incapaz de comunicar-se com os outros, ele conhece um pouco mais sua própria identidade. A descrição do dia-a-dia de Macabéa na cidade do Rio de Janeiro como datilógrafa, o namoro com Olímpico de Jesus, seu relacionamento com o patrão e com a colega Glória e o encontro final com a cartomante estão sempre acompanhados por convites constantes ao leitor para ver com o autor de que matéria é feita a vida de um ser humano.
 

  Demorei um pouco no meu projeto de ler livros da Literatura Brasileira, mas aqui estou eu, cumprindo minha promessa e desejo. Não sei o que me fez escolher A Hora da Estrela como primeiro livro e Clarice Lispector como primeira autora, acho que por ter visto colegas de classe fazendo um curta do livro. Fico extremamente feliz de ter começado e de ter tido a oportunidade de conhecer minha quase xará Clarice, mas não sei se foi o livro certo para começar.

"Ah que medo de começar e ainda nem sequer sei o nome da moça. Sem falar que a história me desespera por ser simples demais. O que me proponho a contar parece fácil e à mão de todos. Mas a sua elaboração é muito difícil. Pois tenho que tornar nítido o que está quase apagado e que mal vejo. Com mãos de dedos duros enlameados apalpar o invisível na própria lama."

  Em A Hora da Estrela, conhecemos dois personagens principais, cada um em um universo literário diferente. O narrador-escritor, que escreve e narra a história de Macabéa, e a própria, uma nordestina que vai morar no Rio de Janeiro, mas é bem ignorante sobre o mundo e passa por umas situações bem loucas.

  Gosto é gosto, mas clássico é clássico? Acho que não. A Hora da Estrela foi o último livro escrito pela ilustre Clarice Lispector, um dos maiores nomes da Literatura Brasileira. O que você diria para alguém que não gostou do livro? Se for algo como insulto, nem diga. Eu gostei de A Hora da Estrela, sim. Me vi em Macabéa em muitos momentos, entendi o que Clarice, por meio do escritor Rodrigo S. M., quis ilustrar.

  Macabéa é desastrada, confusa e uma menina bem azeda. Não teve estudos, mas sabe datilografar. Não consegue ver nada além de seu próprio presente, em que ela vive um dia após o outro sem nem prestar atenção em nada. Às vezes não toma banho, gosta de ouvir propagandas no rádio, não come direito, deseja comer hidratante facial por ele parecer bonito nas propagandas dos jornais. Macabéa é meio esquisita, mas é muito normal ao mesmo tempo.

"A pessoa de quem vou falar é tão tola que às vezes sorri para os outros na rua. Ninguém lhe responde ao sorriso porque nem ao menos a olham."

  No tempo presente do livro, o narrador-escritor fala como é difícil escrever sobre Macabéa e escrever algo no geral. Achei incrível esse lado de mostrar como é difícil dar vida à um personagem. É louco pensar que Clarice penou pra escreveu uma história sobre um escritor que penou pra escrever uma história sobre Macabéa. Bato palmas pela originalidade! Não bato palmas para a chatice que esse narrador falava. Gente, a história de Macabéa, seus amores e ilusões, seu súbito interesse em um futuro brilhante e até o final da história, tudo me encantou. Menos a narrativa.

  Demorei muito pra terminar A Hora da Estrela. Não por Macabéa. Não por Clarice. Mas se tornou chato ler a narração mórbida, sem graça e parada do Rodrigo S. M. que era certamente um escritor angustiado até com o próprio amor pela escrita. Talvez eu tenha começado pelo livro errado, mas não desistirei de Clarice.

"Pois a vida é assim: aperta-se o botão e a vida acende. Só que ela não sabia qual era o botão de acender."

17 comentários

  1. Eu nunca li nada da Clarice e não me desperta muito o interesse... sempre me dá a impressão de que os livros são enrolados e difíceis de entender, não sei porquê. Esse também não é muito a minha praia mas gostei de conhecer sobre a história, principalmente por causa do narrador e tudo mais... x)

    Bom domingo :D
    tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é isso que a gente costuma pensar da literatura brasileira né? haha

      Excluir
  2. Oi Clarissa! Ainda bem que vc não vai me bater por dizer que não gosto de A hora da estrela! Claro que a autora é incrível, mas em alguns momentos eu confesso que não gostei da Macabeia e nem da narrativa, simplesmente me desagradou, mas acontece!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHHAHA então somos duas que não se agradaram tanto assim da narrativa!

      Excluir
  3. Eu adoro as frases dessa mulher! Preciso urgentemente comprar um livro dela. Gostei imenso da resenha. Beijinho

    Dezoito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São ótimas né? Espero que goste da escrita da Clarice!!

      Excluir
  4. Não sabe como fiquei animada para conhecer esse livro, ainda não tinha visto nada sobre ele. Já anotei a dica!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Clarissa, tudo bem? Adoro a ideia do projeto de ler mais livros da literatura nacional, eu mesma precisaria fazer isso, porque tenho pouquíssimos (pra não dizer "quase nenhum") livros nacionais lidos na minha lista. Então, adoro essa ideia! Nunca li Clarice Lispector, mas só escuto boas opiniões sobre ela. Concordo contigo em talvez não ter sido o melhor livro para começar, mas também acho bacana não desistir na primeira experiência não tão positiva com um autor.
    Vou acompanhar tuas leituras de livros nacionais para quando tiver uma super dica.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu espero mesmo continuar nesse projeto hahah. Isso mesmo, a gente não deve desistir quando todo mundo fala tão bem do autor. Talvez apenas não seja uma leitura boa esse livro, quem sabe os outros?

      Excluir
  6. Oi, Clarissa
    Se tem uma coisa que eu detesto é clássicos. Só pelo fato de ser clássico, eu preciso realmente ler? Acho que não. Não funciona comigo e eu não me obrigo a sair da zona de conforto a ponto de passar perrenque com leitura. O pior é que Clarice Lispector nunca me chamou atenção, que dirá poesia, então sei que passaria longe dessa obra.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. Fazem dos clássicos algo intocável, mas eu realmente leio pra apreciar nossa literatura. Se não te chamou atenção nem vale a pena ler mesmo!

      Excluir
  7. Nunca li nada de Clarice, mas quero ler e gostei bastante desse livro, a premissa me atraiu bastante apesar de suas críticas em relação a narrativa.

    www.estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

❤ Proibido usar palavras de baixo calão
❤ Não há moderação de comentários
❤ Deixe o link do seu blog para que eu também possa visitá-lo e segui-lo no Google Friends Connect!

por aqui...

algumas parcerias e informações