RESENHA: Fala sério, mãe! - Thalita Rebouças

13 maio 2018
Fala Sério, Mãe
Thalita Rebouças
Editora: Rocco
Ano: 2004
Páginas: 172
Classificação etária: Livre
Adicione no Skoob - Compre aqui: Saraiva  Amazon  Kindle  Estante Virtual
Sinopse: Mãe e filha. Que relação complicada essa! Amor, carinho, compreensão e, claro, muitas, muitas brigas. Brigas importantes, brigas bobas, brigas memoráveis. Só variam conforme a idade. Boletim, namorados, arrumação do quarto, legumes, viagens, festas, hora de chegar das festas... tudo é motivo para essas pelejas domésticas. Para Angela Cristina, elas são apenas carinho e preocupação. Para Maria de Lourdes, são chateação materna mesmo. Na primeira metade do livro, os textos mostram o ponto de vista da mãe. Mas depois do primeiro beijo, aos 12 anos, é Maria de Lourdes (ou Malu, como ela prefere) quem assume a narrativa. Fala sério, mãe! é uma coletânea de crônicas bem-humoradas do cotidiano dessas duas personagens, que pode ser lida aleatoriamente ou como um romance em pílulas, em ordem cronológica, da barriga aos 21 anos.
 

   Quero começar esse post pedindo mil perdões por estar tão ausente do blog e das redes sociais, tive uns dias bem corridos na faculdade e assim que tudo acalmou uma virose horrível atacou em mim e estou até agora meio doentinha. Mesmo assim, consegui terminar Fala Sério, Mãe, um livro que sempre quis ler por causa da fama e pela escrita incrível da Thalita Rebouças, que já sou apaixonada. Esse já é o meu favorito dela e, sinceramente, quero ter todos os livros dessa série. 

"É essa chatice toda vez que eu saio. Antes de pôr o pé na rua, a ditadora decretou, eu tenho de deixar meu quarto um brinco. Passei a vida inteira ouvindo minha mãe me esculhambar por causa da bagunça do meu quarto-doce-quarto, mas jurava que a ladainha fosse melhorar quando eu estivesse mais crescidinha. Que nada!"

   Angela Cristina e Maria de Lourdes tem uma relação normal entre mãe e filha, as duas brigam por motivos fúteis e tem típicas falas que nós mesmos já proferimos mil vezes nessa vida. Em Fala Sério, Mãe, Angela, uma jornalista, conta como foi dar luz a Maria de Lourdes até o momento em que ela se tornou responsável pela própria vida e pôde contar ela mesma para os leitores como foi ter uma mãe como Angela. Malu precisa lidar com problemas adolescentes como estudos, amigas, namorados, viagens, primeira vez e tudo isso com uma mãe super protetora.

"Tenho certeza, Maria de Lourdes, de que vamos ter uma relação linda, cheia de carinho, amizade, compreensão e diálogo. E eu juro  que vou fazer de tudo para criar você da melhor forma possível."

   Sério, não tem como não se identificar com Malu. Ela é qualquer adolescente brasileira, gente. Vocês provavelmente conhecem essa obra e também o filme que foi lançado esse ano, com a Larissa Manoela e a Ingrid Guimarães, mas o livro é um amontoado sem fim de risos e identificações. Lendo esse livro constatei que todas as mães são iguais e que não importa o quanto a gente reclame, elas só estão fazendo o melhor pra nós. 

"Não gosto de salada. Quem come mato é vaca e eu sou criança. C-R-I-A-N-Ç-A!"

   Esse livro me acompanhou na minha virose e o culpo pelo meu humor restante nessa semana que passou. Impossível não rir de Angela, mãe de Malu. Thalita Rebouças conseguiu descrever minha mãe e todas as outras mães (penso eu) perfeitamente e quanto à Maria de Lourdes? Levando em conta que todos nós já passamos pela fase dramática da adolescência, achei fiel demais. Fui Malu em muitas partes e também não fui. Gosto de livros assim que me mostrem coisas loucas que não fiz na adolescência e as consequências disso. Não que eu me arrependo de não ter ido à festas, fugido de casa e essas coisas. Me orgulho do que escolhi pra mim, mas gosto de ler sobre como teria sido fazer isso, até as broncas e castigos que não cheguei a me meter haha. Claro que algumas reações da Angela não foram muito agradáveis ao meu ver e tinha horas que eu queria dar um tapa na Malu pra ela deixar de ser mimada. 


  Enfim, Fala Sério, Mãe é aquele livro de poucas páginas, mas com muitas cenas engraçadas, bem conteúdo família e extremamente necessário. Eu queria muito ter lido esse livro aos 13 anos, tenho certeza que me ajudaria a entender muita coisa que passei depois dessa idade! Inclusive, sem spoilers, o último capítulo do livro aconteceu comigo muito recentemente e é muito lindo saber que a maturidade chega e a gente entende todos os "fala sério, mãe" que dissemos na vida. 

"Por essas e outras razões que uma amiga minha diz que aquela rede de proteção que botamos nas janelas não é para crianças não caírem. É para as mães não se jogarem lá embaixo."

P.S: Perceberam o novo design do blog? Meu sonho era deixar ele bem profissional (se você entrar na página inicial da pra ver direitinho) por fora, mas por dentro mais simples. Espero que tenham gostado. Eu amei e tá bem acessível pra explorar muitos livros!

12 comentários

  1. Oie!
    Adorei o layout novo, adoro quando tem mudanças <3
    Eu sou louca pra ler o livro e ver o filme, na realidade as histórias adolescentes já me irritam um pouco porque estou ficando velha e sem paciência, mas gosto de me ver nos personagens dos livros. Se bem que eu era uma adolescente bem ao contrário, é difícil achar um livro que se pareça com a Raquel de antigamente hahah

    Boa semana!
    tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Costumam me irritar também, mas às vezes é bom relembrar nossos tempos de adolescentes hahhaha

      Excluir
  2. Oi Clarissa, tudo bem? Eu não li o livro, só vi o filme e gostei bastante do enredo. Já li outros livros da Thalita e adorei, quero conferir esse tb!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótimo e pra quem viu o filme é super fiel também hahhaa

      Excluir
  3. Olá,
    Eu só li um livro da Thalita e simpatizei bastante com a abordagem dela da adolescência. Esse eu queria ter lido quando mais nova haha, mas quem sabe atualmente rola também!

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, queria ter lido na adolescência!! Ia ser tão mais interessante hahahha

      Excluir
  4. Olá Clarissa, tudo bem?

    Bom eu sempre vejo elogios sobre este livro e confesso que tenho vontade de assistir o filme, porque eu sou dessas mães bem protetoras e a minha filha está com 15 anos e tah naquela fase crucial da adolescência haha. É uma loucura. Que bom que curtiu o livro. Um xero!!!

    https://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHHAHAHA seria incrível se você pudesse ler com sua filha!

      Excluir
  5. Oi, Clarissa. Como vai?
    Já tentei ler esse livro e o do pai mas não curti muito não. Livros de relatos não me chamam muito atenção e acredito que apesar dele mostrar a realidade do dia-a-dia das famílias, ler sobre isso sempre se torna algo chato pra mim.
    Mas fico contente que leu e o livro é legal. Eu queria ver o filme.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Foi essa parte que me conquistou, essa pegada meio dia a dia mesmo! O filme é bem legal também, super comédia haha

      Excluir
  6. This would be interesting to read because I'm sure it would be very easy to relate.

    www.fashionradi.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yesss, it's so close to our teenage reality :)

      Excluir

❤ Proibido usar palavras de baixo calão
❤ Não há moderação de comentários
❤ Deixe o link do seu blog para que eu também possa visitá-lo e segui-lo no Google Friends Connect!

por aqui...

algumas parcerias e informações