29 janeiro 2018
#PREFIROOLIVRO - Confesse vs. Confess

#PREFIROOLIVRO - Confesse vs. Confess


       Planejei esse quadro aqui pro blog desde o ano passado e finalmente pude trazer ele pra cá do jeitinho que eu queria. Eu podia ter começado antes, mas queria começar com Confess e para isso, tinha que assistir a série inteira. Terminei semana passada e já estou aqui pra contar tudo pra vocês.

      É possível que você aí nem saiba que o livro Confess foi adaptado para série. Eu só fiquei sabendo depois de procurar uma série nova ano passado no aplicativo TV Show Time e achei esse, com uma das minhas atrizes favoritas, a Katie Leclerc, de Switched At Birth. Depois que fui deduzir que era, na verdade, a adaptação da obra da Colleen Hoover famosíssima. Resolvi que assistiria a série primeiro e se gostasse dos primeiros episódios, leria o livro. Esse era meu plano inicial, mas quando vi o primeiro episódio, gostei tanto que baixei o e-book de Confess (Confesse no BR).

SOBRE O LIVRO CONFESSE, DA COLLEEN HOOVER

      Tem resenha aqui no blog de Confesse, mas vou comentar um pouco o que eu achei do livro. Acho que, para mim, não foi uma das melhores obras da Colleen Hoover, mas mostra muito a capacidade de escrita da autora. Ela realmente nos transporta para o universo do livro e isso não deixou de acontecer comigo na história de Auburn e Owen.
27 janeiro 2018
RESENHA: Os Segredos de Colin Bridgerton (Os Bridgertons #4) - Julia Quinn

RESENHA: Os Segredos de Colin Bridgerton (Os Bridgertons #4) - Julia Quinn

Os Segredos de Colin Bridgerton
Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
Páginas: 336
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres. Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade. Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum. Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente. No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz.

 

ESSA RESENHA NÃO POSSUI SPOILERS DOS LIVROS ANTERIORES

     Continuando com a série da família Bridgerton, que eu amo demais, o quarto livro mostra a vida da excluída Penelope Featherington, que desde que se conhece por gente é apaixonada por Colin Bridgerton. Achei a leitura bem fluida, como todos os outros livros da série. 

"E se havia algo que Penelope sabia, mesmo na época, com 16 anos quase completos, era que seu futuro não incluía Colin Bridgerton no papel de marido."

     Penelope Featherington sempre foi vista pela sociedade londrina como a solteirona, que mesmo após debutar várias vezes, estava longe de conseguir se casar. Até a famosa Lady Whistledown, cronista anônima de Londres, fala de Penelope com desprezo, tanto por suas escolhas de vestido quanto por parecer tão submissa às opiniões dos outros. É aí que ela se aproxima do encantador Colin Bridgerton, o terceiro mais velho dos Bridgertons, que também estava solteirão. Penelope, que sempre foi apaixonada por ele, passa a ter Colin como um amigo e sentir que pode confiar nele pra qualquer coisa, inclusive com segredos entre os dois. 

24 janeiro 2018
RESENHA: Como Eu Era Antes de Você - Jojo Moyes

RESENHA: Como Eu Era Antes de Você - Jojo Moyes

Como Eu Era Antes de Você
Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Páginas: 320
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.


      É quase anormal a gente dizer que não leu um livro famoso ou que não gostou de um livro famoso, né? Bem, passei por essas duas fases com Como Eu Era Antes de Você. Seguinte, eu conhecia o livro, mas não tinha coragem de ler e aí o filme foi lançado. O que eu fiz? Isso mesmo, assisti, me apaixonei e chorei horrores porque não conhecia a história de Lou e Will. Imediatamente coloquei o livro na minha meta de leitura e quando finalmente tentei ler ano passado não consegui e o abandonei. Achei a narrativa arrastada e não me julguem por isso, mas nessa segunda tentativa (com sucesso) de ler, achei a mesma coisa, mas fui até o fim.

"Ser atirada para dentro de uma vida totalmente diferente - ou, pelo menos, jogada com tanta força na vida de outra pessoa a ponto de parecer bater com a cara na janela dela - obriga a repensar sua ideia a respeito de quem você é. Ou sobre como os outros o veem."

    Nesse livro, conhecemos Louisa Clark, uma jovem que não tem ambições de vida, trabalha como garçonete por anos para ajudar a sustentar a família e namora um corredor imbecil há 7 anos. A vida dela muda quando o bar onde trabalha fecha e ela precisa de um novo emprego. Conseguiu um de ser cuidadora de um recém vítima de acidente, que ficou tetraplégico. Will Traynor enlouquece Lou por ser extremamente amargo, mas ao mesmo tempo acende nela uma vontade de viver. 


20 janeiro 2018
#AquelaAjuda Como escrever uma resenha literária?

#AquelaAjuda Como escrever uma resenha literária?


      Ano passado comecei uma coluna aqui no blog chamada #AquelaAjuda, onde eu postei sobre algumas dúvidas que eu via serem perguntadas e meu objetivo sempre foi ir mais pro lado blog com a coluna. No segundo período da faculdade (de Comunicação Social), tive uma cadeira chamada Comunicação e Linguagem, onde nosso ponto principal foram as lindas resenhas. Fiquei obviamente super feliz né, resenhas são minha praia e eu já me imaginei passando bem linda na cadeira. O negócio é que as resenhas não eram de livros, e sim de artigos científicos! Não tirei nota baixa nem nada, mas foi uma decepção ver que as resenhas universitárias são totalmente diferentes das que eu escrevo aqui. Foi nesse momento que pensei que seria bom trazer um post sobre como escrever uma resenha, já que já tinham me perguntado e também vejo muita gente escrevendo um sinopse com suas palavras e considerar isso resenha. Foi semana passada que resolvi que realmente traria essa temática aqui pro blog, quando recebi um e-mail de uma leitora aqui do blog, me pedindo para ajudá-la a escrever uma resenha pra blog literário. Resumi tudo que acho importante e vamos lá que esse post vai ser bem explicativo e grandinho!

     O que é uma resenha?


Uma resenha é uma descrição detalhada de uma obra, em que a parte principal é a opinião do autor. Então, é obrigatório que a resenha seja o mais parcial possível. Não tente se afastar da sua própria opinião, com medo de influenciar as pessoas. O intuito da resenha é justamente esse: usar as palavras ao seu favor para que as pessoas se interessem pelo conteúdo da sua resenha, seja um livro, filme, série ou, no meu caso, um artigo científico. 

     O que deve ter na minha resenha além da minha opinião?


Bem, já que tocamos nesse assunto, é importante que você detalhe um pouco a obra. Coloca uma sinopse, umas informações técnicas também é massa. Por exemplo, nas minhas resenhas eu sempre coloco a "ficha técnica" do livro, para que o leitor saiba qual editora publicou o livro, em que ano e em quantas páginas. Acredite, até o número de páginas é importante. Sério! Por exemplo, eu mesma só li Para Educar Crianças Feministas, da Chimamanda Ngozi Adichie, quando li uma resenha e vi na ficha técnica do livro que continha menos de 100 páginas. Estava a fim de ler algo curto e legal e mergulhei na leitura e não me arrependo. Isso serve para o contrário também. Se a pessoa tiver a fim de ler algo de mais de 400 páginas, isso também pode contribuir para o interesse no livro. 

    E o tamanho da minha resenha?


Olha, nem grande demais nem pequeno demais. Leio muitas e muitas resenhas quando estou retribuindo comentários aqui do blog e a maioria delas são fáceis de ler, pois a/o blogueira/o conseguiu dividir tudinho a ponto de ser confortável de ler. Por exemplo, se você escreveu a sua resenha e achou um tamanho médio, mas usou apenas 3 parágrafos, pode ser que os parágrafos tenham ficado grande demais e isso dá preguiça de ler todo. Escreva parágrafos com no máximo 15 linhas no campo de postagem do blog, pois acho que mais que isso dá preguiça real de ler. Mas, por outro lado, como comentei por aqui, já li resenhas que não eram na verdade resenha. Vou dar um exemplo claro abaixo:

RESENHA: Tartarugas Até Lá Embaixo - John Green

RESENHA: Tartarugas Até Lá Embaixo - John Green

Tartarugas Até Lá Embaixo
John Green
Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Páginas: 256
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse:
A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.


  Confesso que estive ansiosa para ler o novo livro do John Green desde o lançamento, mas mais porque a maioria das obras do autor não me agradaram. Depois de A Culpa É Das Estrelas, nada do John me fez gostar dele. A escrita é ótima, claro, mas não foram livros que chamaram minha atenção de alguma forma. E aí chega Tartarugas Até Lá Embaixo, que pelo que li até agora é um divisor de águas, tem gente que gosta e gente que abomina. Bem, eu comecei achando extremamente chato. A protagonista parecia forçada e eu abandonei a leitura por um tempo, mas tudo isso foi explicado: minha ressaca literária estava rolando naquele momento e não houve um livro que me tirasse dessa ressaca até quarta-feira, com as Listas de Casamento de Becky Bloom.

“Eu estou no refeitório e começo a pensar que tem um monte de organismos morando dentro de mim e comendo a minha comida por mim, e que eu meio que sou esses organismos, de certa forma... Então eu sou um ser humano tanto quanto sou esse aglomerado nojento de bactérias, e na verdade não tem nada que possa me deixar totalmente limpa, sabe?”
18 janeiro 2018
RESENHA: As Listas de Casamento de Becky Bloom - Sophie Kinsella

RESENHA: As Listas de Casamento de Becky Bloom - Sophie Kinsella

As Listas de Casamento de Becky Bloom
Sophie Kinsella
Editora: Record
Ano: 2004
Páginas: 446
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Pela primeira vez a vida de Becky parece estar nos trilhos. Ela conseguiu um emprego de consutora de compras, no qual gasta o dinheiro de outras pessoas, e ainda é paga por isso. Mora num ótimo apartamento em Manhattan com Luke, o homem de sua vida, com quem abriu até mesmo conta conjunta! Então Lukea pede em casamento. E a confusão se instala na vida do casal. A mãe dela quer um casamento na Inglaterra. A sogra, uma festa de cinema em Nova York. Becky precisa escolher onde vai se casar, mas não consegue, perdida na preparação de listas de presentes, provas de vestidos e escolha de bufê. O tempo vai passando. E ela, de repente, percebe que está em grandes apuros. Como conciliar duas cerimônias no mesmo dia, na mesma hora e em dois continentes diferentes? Tudo bem, o noivo é o mesmo. Mas será que ele vai resistir a tamanha confusão?

 

PODE CONTER SPOILERS DOS PRIMEIROS LIVROS DA SÉRIE, SORRY

     Nunca fiquei tão feliz em postar uma resenha por aqui. Minha ressaca literária finalmente acabou e eu consegui terminar As Listas de Casamento de Becky Bloom, com o recorde de mais de 20 dias lendo. Acho que a narrativa contribuiu para minha ressaca continuar me matando e fico aliviada em ter terminado também.

"Falando sério. Claro que não vou me casar em Nova York. Claro que não. É impossível. Vou me casar em casa, como planejei, com um belo toldo no jardim. Não há motivos para mudar os planos. Nenhum.
Só que...
Ah, meu Deus. Talvez, só talvez, Elinor tenha alguma razão."

    Nesse terceiro livro da série da Becky Bloom, Rebecca finalmente aceita que depois que Luke apareceu em sua vida, ela mudou totalmente. A ponto se casar com o próprio e ter que controlar seu desejo pelas compras, mais uma vez. O único problema nesse chick-lit é onde será a tão sonhada festa de casamento de Becky e Luke: em Nova York, onde a mãe de Luke riquíssima pagaria pelo casamento mais luxuoso de todos os tempos, ou na Inglaterra, casa de Rebecca e Luke, onde a mãe de Becky já preparava e sonhava com esse casamento há décadas. 
16 janeiro 2018
50 PERGUNTAS + 2 ANOS DO PRÓXIMA PRIMAVERA

50 PERGUNTAS + 2 ANOS DO PRÓXIMA PRIMAVERA


Resultado de imagem para rory gilmore
Vai ter Rory Gilmore sim, pois ela é a rainha desse blog!
      

Siim, é isso mesmo! Hoje o blog está de parabéns, completando mais um aninho! Eu só tenho a agradecer a todos vocês por todo o apoio, esse blog é tudo pra mim e eu não estaria onde estou hoje e nem seria quem sou se não fosse pelo quanto eu cresci nesse espaço tão importante pra mim. Pensei muito em que tipo de post traria como comemoração e decidi que traria algo especial e saí pesquisando TAGs pela internet, acabei achando uma que vou adaptar por aqui. É a 50 perguntas a uma leitora, que vi no blog Cinco Garotas Exemplares (aqui o post original) e vou modificar um pouco, espero que eu possa fazer isso. 

1. Qual o livro mais marcante que você leu recentemente?


Sorrisos Quebrados, da Sofia Silva

2. Foi uma boa leitura?


Melhor leitura de uns tempos pra cá, viu?

3. O que fez dele uma boa leitura?


Acho que eu me identifiquei tanto com a personagem principal que eu só queria terminar o livro pra ver o que ela faria e o que eu faria também. Acho que é como eu já disse mil vezes por aqui, um livro bom pra mim é aquele que reflete os sentimentos da autora, mas que capta os seus e te coloca em sintonia com tudo aquilo que você está lendo. Sofia Silva fez isso comigo e a cada página de Sorrisos Quebrados eu me entreguei a forma de escrita dela totalmente. 

4. Você o recomendaria as outras pessoas?


Com certeza, mas acho que nem todo mundo veria esse livro da mesma forma que eu vi. Acho que além de depender de gêneros que você prefere, também depende muito de quando você está lendo. Acho que se tivesse lido Sorrisos Quebrados há um ano atrás, não teria sentido o que senti, pois não era o momento certo. Li quando devia ter lido e eu espero sim que outras pessoas possam ter o momento certo de lê-lo. 

5. Com que frequência você lê?


Nessas últimas semanas eu venho passando pela PIOR ressaca literária da minha vida. Mais de 20 dias sem conseguir pegar em um livro e terminar de uma vez. Mas tirando esse detalhe, costumo ler todos os dia, geralmente à noite. 


6. Você gosta de ler?


Muito. Não conseguiria viver sem a leitura, sério. 

7. Qual foi o último livro ruim que você leu?


O Pequeno Príncipe. EITA, CALMA! Me jogaram pedras por causa disso, mas gente, leiam a resposta da pergunta numero 4! 

8. O que fez você não gostar?


Li O Pequeno Príncipe e NÃO entendi, devo isso ao momento de ler. Acho que simplesmente não era a hora certa e eu ainda vou reler um dia, pois quero ver a magia toda que vocês falam!

9. Você gostaria de ser escritor?


Meu sonho, talvez? Já escrevi uma fanfic quando tinha uns 14 anos e acho que hoje ela está com mais de 600 mil visualizações e entre as 10 mais famosas da categoria dela. Gente, claro que eu quero escrever e escrever nessa vida e pra sempre, pois amo demais. 

10. Tem algum livro que influenciou sua vida?


O Diário de Anne Frank, certamente. Mudou minha visão de futuro COMPLETAMENTE. Acho que por a Anne ter tido os mesmos sonhos que eu e não poder realizá-los. (P.S: Gente, comentaram na minha resenha desse livro que eu dei spoiler dizendo que a Anne morre. MAS ISSO TEM NA SINOPSE! Quem não sabe que Anne Frank morreu no campo de concentração? É por isso que tem o livro aliás!!)

11. Você lê fan fiction?


HAHAHHAHAHA já li demaaais dos meus 11 aos 15 anos!

12. Você escreveria uma fanfiction?


Já falei disso na resposta da pergunta 9 né? hahahha não só escreveria como escrevi umas 4. 

13. Qual seu livro favorito?


Acho que Tudo e Todas as Coisas. Também porque me identifiquei DEMAIS com a história de amor de Maddie e Olly e eu me considero a própria Maddie hahah.


14. Qual o livro que você menos gostou?


After, da Anna Todd. Uma porcaria e só tem um relacionamento extremamente abusivo e a protagonista se culpando por isso. 

15. Você prefere livros físicos ou e-books?


Acho que depende. Amo mais os livros físicos porque são lindos e enfeitam sua estante, mas prefiro ler físicos em casa e digitais quando estou fora de casa sabe? Acho mais prático. 
13 janeiro 2018
RESENHA: A Garota do Calendário (Julho) - Audrey Carlan

RESENHA: A Garota do Calendário (Julho) - Audrey Carlan

A Garota do Calendário (Julho)
Audrey Carlan
Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 144
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: O que você faria para salvar a vida de seu pai? A vida é feita de escolhas. Mia Saunders fez a dela. O sexto volume do fenômeno editorial nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de cópias vendidas Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em julho, Mia estará em Miami para ser a estrela principal do novo videoclipe do cantor de hip-hop Anton santiago. Anton é lindo, confiante e está louco por Mia, mas, para ficar com ele, ela terá de resolver algumas questões do passado...

       Primeiro livro livro em 2018, sim senhores. Sei que demorei a postar depois do primeiro dia do ano, mas posso explicar isso com duas palavras: novidades pra esse ano e ressaca literária. Tem coisa pior que isso? Faz um tempão que estou lendo As Listas de Casamento e Becky Bloom e resolvi tentar outro livro para não deixar vocês na mão por muito tempo. E aqui estou eu com o sétimo volume da série A Garota do Calendário.

ESTA RESENHA NÃO CONTÉM SPOILERS

      Em Julho, Mia Saunders é mandada pata Miami com a missão de fazer parte de um clipe de um cantor de hip hop famoso nos Estados Unidos, o Anton Santiago. Mas o grande problema foi lidar com as tentativas de esquecer os acontecimentos traumáticos que Mia viveu no livro Junho.

     Se é pra ser sem spoilers, eu tento da melhor forma, mas digo logo que vai ser difícil. Mia já passou por seis outros homens que a queriam como acompanhante para aparecer de melhor forma na mídia ou para ser apenas uma inspiração para eles, mas Mia ainda está com o coração entregue a um desses homens, que particularmente eu já até esqueci o romance deles porque Audrey Carlan, pra que tanto livro?

"Os pensamentos negativos são plantados como uma semente no cérebro e, uma vez que crescem, tomam conta da mente, infectando a nossa capacidade de enxergar a verdade e a beleza de forma clara. De ver a honestidade por trás de uma pessoa ou uma situação."

01 janeiro 2018

Minhas metas para 2018

    Feliz 2018, pessoal!!! Assim como fiz ano passado, gosto de deixar aqui minhas metas para o ano que se inicia. Esse ano não planejei muita coisa como no ano passado porque penso que devo deixar as coisas acontecerem também, mas o que eu mais quero está bem aqui e eu quero muito conseguir realizar.

Pessoais


- Conhecer ainda mais Caruaru
- Ir para o Festival de Inverno de Garanhuns
- Ir para uma Bienal em 2019
- Voltar para São Paulo e/ou conhecer o Rio de Janeiro
- Fazer yoga para melhorar ansiedade
- Tirar passaporte
- Conhecer o Parque das Jaqueiras
- Vender minha bicicleta
- Ler 100 livros em 2018
- Terminar minha Meta de Leitura 2018


Aprendizagem

- Terminar o curso de inglês
- Fazer o TOEIC
- Estudar para o TOEFL
- Estudar espanhol em casa
- Terminar gramática Oxford

Blog
- Parcerias com editoras
- 100 resenhas no blog
- 1000 seguidores no blog
- Layout novo
- Ler e resenhar 25 livros do Rory Gilmore Books Project
- Melhorar as postagens
- Trazer mais conteúdo



por aqui...

algumas parcerias e informações