3

Jardim de Inverno
Kristin Hannah

4

Confesse
Colleen Hoover

5

A Arte da Guerra
Sun Tzu

1

O Apanhador no Campo de Centeio
J. D. Salinger

2

A Escrava Isaura
Bernardo Guimarães

RESENHA: Um Perfeito Cavalheiro (Bridgertons #3) - Julia Quinn

25 outubro 2017
Um Perfeito Cavalheiro
Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Ano: 2014
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.
 

      Devo ser realmente uma romântica incurável. Dentre todos os livros que li da série Os Bridgertons, o terceiro, de Benedict, me apaixonou cem por cento. Eu já tinha sido avisada por vocês e por minha amiga leitora e apaixonada por Benedict, mas não levei a sério e, quando percebi, já estava caída de amores por ele e já desejava ser Sophie. O modo como a história se desenrolou mais parecia um conto de fadas, o que era pra ser realmente. É muito claro que Um Perfeito Cavalheiro é uma releitura do conto da Cinderela, sendo que uma versão romance de época. 

"Não passava de um sonho, mas fazia muito tempo que ela se permitira sonhar pela última vez."

    Sophie é uma bastarda, filha de um conde falecido, e teve que lidar com a madrasta e suas duas filhas por vinte anos, como escrava, sem ser feliz. Em uma noite, um grande baile foi ofertado pelos Bridgertons e Sophie, conseguiu sua noite de Cinderela com a ajuda de sua governanta. Bem, o problema é que ela precisava voltar de meia noite para casa e no meio do caminho acabou conhecendo - e beijando - Benedict Bridgerton. Na hora de ir embora, ela teme perdê-lo, mas acaba esquecendo uma de suas luvas com ele, mas durante anos nenhum dos dois se reencontra novamente. Quando acontece, Sophie precisa mostrar a Benedict que, mesmo sendo criada, não merece sentir o que sente por ele, nem que seja retribuída. 


"Sophie suspirou. Vinha lendo sobre o próximo baile de máscaras havia semanas, e embora não passasse de uma camareira (e às vezes arrumadeira também, sempre que Araminta decidia que seu trabalho não estava o suficiente), não conseguia evitar o desejo de ir ao baile."

   Sophie é a personagem mais sensata que eu já conheci pelos livros. Não arrisco dizer que ela é uma das minhas favoritas. Eu realmente me identifiquei com ela e fiquei feliz por Julia Quinn também colocar uma protagonista de classe baixa e bastarda na história. Achei lindo tudo que Sophie passa e suas emoções a cada vez ficar perto do que sempre sonhou: bailes, colunas de Lady Whistledown e vestidos lindos. Já Benedict, já diria Julia Quinn, é um perfeito cavalheiro.

"Benedict é um Bridgerton, e, embora não houvesse outra família a que quisesse pertencer, às vezes desejava ser considerado pouco menos Bridgerton e um pouco mais ele mesmo."

  Ao contrário de Anthony, do livro anterior, não quis matar Benedict. Ele foi fofo, gentil, às vezes um pouco fora de si, mas nem por isso foi possessivo ou machista a ponto de desmerecer Sophie. Muito pelo contrário, ele mostrou que merece ser visto como alguém e não como o segundo filho de Lady Bridgerton. E o que falar sobre a melhor parte do livro? O bendito final ilustre com a companhia de Lady Bridgerton! Não imaginava que ela ia se envolver tanto em uma história a ponto de me fazer amá-la. Ela salvou a pátria e passou na cara de todo mundo que amor é amor, não olha pra carteira nem pra posição na sociedade. 

   Estou muito muito mais ansiosa para continuar a série dos Bridgertons e feliz por encontrar na escrita de Julia Quinn um refúgio e um mundo totalmente diferente. Me sinto conectada aos anos de 1800 e poucos e quero conhecer Colin Bridgerton, o próximo da série, loucamente.

"- Então teremos que fazer uma vida inteira caber nesta noite."
  1. Gosto tanto dos livros da Julia, as histórias são sempre intensas! Amei sua resenha. ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  2. Oi. De toda a série, esse é meu favorito <3 Muita gente prefere a história de Anthony, porque essa coisa de os opostos se atraem encanta qualquer um, mas com certeza o romantismo desse livro me encantou e foi por isso que me vi apaixonada por Sophie e Benedict.
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu também adoro romances, mas esses mais antigos assim eu já meio que fujo... mas adoro quando a gente entra na história e deseja viver um pouquinho da vida da personagem, sinto falta disso em alguns livros!

    Beijinhos
    tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Clarissa!
    Eu AMEI aquele final! Nunca ri tanto num romance de época e achei ele muito bem escrito e pensado.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Oi Clarissa!
    Esse foi o último livro dos Bridgertons que eu li, também amei esse livro!

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  6. Tenho essa série na minha lista de espera! Nunca li nada da autora, mas quero muito! =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  7. Oi Clarissa,

    Eu acho que é um dos mais romântico da série mesmo, embora eu confesse que ás vezes eu tinha vontade de bater no Benedict hehehehhee Sophie é uma protagonista linda e a Violet brilha como sempre <3 espero que continue gostando da Julia Quinn!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

❤ Proibido usar palavras de baixo calão
❤ Não há moderação de comentários
❤ Deixe o link do seu blog para que eu também possa visitá-lo e segui-lo no Google Friends Connect!