4

The Kiss Of Deception
Mary E. Pearson

5

O Orfanato da Srta. Peregrine P. C. P.
Ransom Riggs

1

826 Notas de Amor Para Emma
Garth Callaghan

2

Meu Romeu
Leisa Rayven

3

Jardim de Inverno
Kristin Hannah

RESENHA: Veronika Decide Morrer - Paulo Coelho

22 setembro 2017
Veronika Decide Morrer
Paulo Coelho
Editora: Planeta
Ano: 1998 (edição de 2006)
Páginas: 224
Adicionar no Skoob - Compre aqui - Sinopse: A loucura é a incapacidade de comunicar-se. Entre a loucura e a normalidade, que no fundo são a mesma coisa, existe um estado intermediário: chama-se ser diferente. E as pessoas estavam cada vez com mais medo de ser diferentes. No Japão, depois de ter pensado muito sobre a estatística que acabara de ler, me veio a ideia de escrever um livro sobre a minha própria experiência. Escrevi "Veronika Decide Morrer" na terceira pessoa, usando meu ego feminino, porque sabia que a minha experiência de internação não era o que interessava mas sim os riscos de ser diferente, e o horror de ser igual.




      Como todos devem ter conhecimento, setembro é o mês nacional do combate ao suicídio. Faz tempo que estou no projeto do blog Sté Livros para resenhar livros com a temática do suicídio que sejam uma boa leitura que mostrem o sentido da vida e que ensinem uma lição sobre depressão e suicídio. Entre as indicações, escolhi Veronika Decide Morrer, de Paulo Coelho, um ator que sempre tive curiosidade em ler pelas críticas positivas e negativas. Assim que comecei o livro, já percebi que era forte e que me ensinaria muita coisa em suas nem tantas páginas. 

"Quando conseguiu tudo o que desejava na vida, chegou à conclusão que a existência não tinha sentido, porque todos os dias eram iguais. E decidira morrer."

       Em Veronika Decide Morrer, Paulo Coelho conta, ele mesmo, a história de uma moça chamada Veronika, nascida na Eslovênia algumas décadas atrás. Veronika sempre teve uma vida simples, porém completamente previsível. Era esperado que ela estudasse, arrumasse um emprego, um marido, filhos e que seja traída e uma sucessão de eventos predestinados viriam a acontecer. Veronika decide morrer e planeja toda a sua morte só que seus planos não ocorreram como planejado e ela acordou em uma clínica para loucos, Villette. Lá, Veronika vai aprender a conviver com a loucura dela mesma e de cada um dos pacientes internados ali e descobrir que suas escolhas entre vida e morte refletem os seus desejos da vida.


“Direi a idos que os filhos são a razão da minha vida, mas, na verdade, eles exigem minha vida como razão. As pessoas vão sempre nos considerar um casal feliz, e ninguém saberá o que existe de solidão, de amargura, de renúncia, atrás de toda aparência de felicidade”

        Inicialmente, achei Veronika Decide Morrer muito pesado. Sim, eu sei que não tem como um livro que retrate o suicídio não ser pesado. A temática em si exige algo muito delicado, mas Paulo Coelho começa expondo alguns argumentos que Veronika mesmo tinha, que eram mais pesados do que eu pensei. Em alguns momentos percebi uma romantização do suicídio, mas não pensei em desistir. Continuei na minha leitura e confesso que a cada capítulo marquei mais de 3 trechos. As palavras de Paulo Coelho foram sabias, curtas e reflexivas. São aquelas que você para, pensa e concorda. 

"Era hora de ter orgulho de si mesma, saber que fora capaz, finalmente tivera coragem, estava deixando essa vida: que alegria! - através de comprimidos, que não deixam marcas.”

“Na adolescência, achava que era cedo demais para escolher; agora, na juventude, se convencera que era arde demais para mudar.”

       Além de conhecer Veronika e os motivos pelos quais ela deseja morrer, conhecemos também seus pensamentos, por meio de discurso direto e os pensamentos e a história dos principais pacientes da clínica, que contribuíram para a história de Veronika ser o que ela foi. Achei bastante interessante ver a parte psicológicas de eventos cotidianos e o quanto a psicologia age de forma positiva, seja com pessoas com depressão ou não.

“Da mesma maneira, entendia que sempre tivera em sua vida muito amor, carinho, proteção, mas lhe faltara um elemento para tornar tudo isto numa benção: devia ter sido um pouco mais louca.”

         Uma das minhas partes favoritas do livro, foi quando a loucura foi comentada. Ela está em toda parte no livro, mas pela razão inicial que eu me apaixonei. Assim como a própria Alice, de Alice no Pais das Maravilhas, disse: “As melhores pessoas são assim (loucas).”. E Paulo Coelho mostra que todos somos loucos em nosso próprio Universo. Veronika era louca pelo que fez, faz, deixou de fazer ou queria fazer e não fez. Zeska era louca, Eduard era louco e até mesmo o médico, Dr. Edgar. Todos nós somos e se você não se permite ser louco, não está vivendo. 

“Todos nós, de um jeito ou de outro, somos loucos.”

         Me envolvi muito na narrativa, mesmo com alguns diálogos que pareciam desnecessários, mas não. No fim, é bem claro que cada palavra dita no livro precisa estar lá para que tudo fizesse sentido. Mesmo com as críticas negativas, gostei demais da escrita e reflexão de Paulo Coelho e, com certeza, lerei mais livros e trarei aqui pra vocês. São aqueles livros que te acrescentam muita sabedoria e, ainda melhor, por meio de uma história trágica e ao mesmo tempo inspiradora. 

“A consciência da morte nos anima a viver mais”


VEJA O POST DO SETEMBRO AMARELO DE 2016, ONDE EU RESENHEI UM O FILME "GIRL LIKE HER", DISPONÍVEL NA NETFLIX, COM A TEMÁTICA BULLYING E SUICÍDIO!

VEJA O POST DE 13 REASONS WHY!


DIGA SIM À VIDA, VIVA SUA LOUCURA. APENAS VIVA!
LIGUE 141 OU ACESSE cvv.org.br

  1. Olá, tudo bom?
    Eu quero ler esse livro. Nunca li nada do autor, mas o título dessa obra me encanta. Não sei o pq.
    Adorei sua resenha e que bom que você gostou do livro.
    Beijos
    5 O'clock Tea

    ResponderExcluir
  2. Oie!
    Nunca li nenhum livro do Paulo Coelho, acho que é bem fora da minha zona de conforto, por serem "cabeça" demais. A temática é bem forte e acho que ele quis mesmo impactar o leitor, e eu adoro isso. Mesmo assim, não sei se vou ler, não estou acostumada e ia ficar bem impressionada x)

    Bom fim de semana!
    tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi
    ainda não tinha lido resenha dele, mas já tinha visto em promoções e cogitei comprar. Apesar da história parecer pesado igual comentou, parece ser profunda e envolvente. Que bom que gostou de ler, já li um livro desse autor e gostei muito.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi
    ainda não tinha lido resenha dele, mas já tinha visto em promoções e cogitei comprar. Apesar da história parecer pesado igual comentou, parece ser profunda e envolvente. Que bom que gostou de ler, já li um livro desse autor e gostei muito.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Clarissa, tudo bem? Eu li esse livro na minha adolescência, ou seja, já faz muito tempo hehehehehe mas eu lembro que fui bem impactada pela obra! Tanto que depois disso passei a ler vários do Paulo Coelho <3 Acho que o livro de fato combina bem com setembro amarelo! Gostei de vc ter falado dele!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi, Clarissa!
    Eu sabia por alto da história desse livro, mas depois que uma amiga minha comentou mesmo do que se trata, fiquei com muita vontade de ler.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  7. Clarissa querida também li esse livro e alguns outros do Paulo Coelho e confesso que esse foi o melhor de todos, doei todos os livros que tinha do autor para uma biblioteca pública e os únicos que fiquei foi esse lido por vc, Brida e As Valkirias. Gostei de alguns outros, mas sabe quando a história simplesmente se apaga de sua mente. Enfim hoje não tenho mais empolgação para ler os livros do autor, mas acho interessante você ler para formular sua opinião.
    Sobre Veronika decide morrer, o que mais gostei foi a possibilidade reconhecer através da leitura, que nem todos que pensam em morrer são loucos e aqueles que tentam, muitas vezes estão pedindo socorro, mesmo que não tenham consciência. Além disso a forma como ela aprendeu a ver a vida de outro jeito é valorizar cada minuto que tinha ... Me fez ver o quanto precisamos ser gratos pelas pequenas coisas da vida, além claro de ter mais atenção com as pessoas que estão ao meu lado. Nunca sabemos quando esse alguém estará triste ou fraco, então precisamos sempre dar nosso melhor para o mundo e fazer nossa parte.
    Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  8. Já li o livro há muitos anos atrás. Ele realmente mexe, trazendo muitas reflexões que não fazemos mais vezes, talvez pelo próprio sentido de densidade que o tema impõe. Beijos.

    ResponderExcluir

❤ Proibido usar palavras de baixo calão
❤ Não há moderação de comentários
❤ Deixe o link do seu blog para que eu também possa visitá-lo e segui-lo no Google Friends Connect!