2

After
Anna Todd

3

O Visconde Que Me Amava
Julia Quinn

4

Novembro, 9
Colleen Hoover

5

Meu Deus, Mas Que Cidade Linda
Rodolfo Melo

1

Olhos Vendados
Faye Kellerman

RESENHA: Olhos Vendados - Faye Kellerman

27 agosto 2017
Olhos Vendados
Faye Kellerman
Editora: HarperCollins
Ano: 2016
Páginas: 368
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Como detetive de homicídios de Los Angeles, Peter Decker não vive uma vida normal. Depois de anos na polícia, já viu todo tipo de coisa e nada mais parecia surpreendê-lo. Decker, inclusive, aprendeu que seu trabalho é uma ameaça para aqueles que mais ama, entre elas sua esposa, Rina Lazarus. Mas o melhor investigador da Califórnia é desafiado novamente quando um brutal assassinato múltiplo envolvendo o bilionário Guy Kaffey o enreda em intrigas e mistérios que colocam sua família em perigo mais uma vez.
 

         Devido ao meu amor aparente por investigações criminais, encontrei Olhos Vendados em um estande do Shopping Difusora e eu sinceramente o levaria só pela capa maravilhosa, mas o assunto já era parte de meu interesse, então só comprei e encarei o livro por meses na minha estante, esperando o momento certo de ler. Bem, o tal momento chegou e, infelizmente, foi contrário ao que coloquei nesse livro na minha mente. Ele é sim de investigações criminais, mas ao contrário do que aconteceu quando li Harlan Coben, a narrativa não me prendeu ao crime e nem me fez querer descobrir quem matou quem.

"Decker desligou e pensou em tudo de que precisava: um caderno de anotações, canetas, luvas, sacos para evidências, máscaras faciais, lupas, detectores de metal, hidratante e Advil, e este não para uso forense, mas porque ele estava com uma dor de cabeça forte, por ter sido despertado de um sono profundo."

          Peter Decker é astuto e presta atenção nos mínimo detalhes da vida das pessoas, inclusive as que ele precisa investigar por assassinato. O da vez foi um brutal envolvendo Guy Kaffey, um milionário dono de uma rede gigante de shopping centers que domina todo os Estados Unidos. O crime foi inesperado e, para complicar, pela primeira vez, Peter não sabia por onde começar. As pistas não davam em lugar algum e a quantidade de suspeitos aumentava a cada entrevista com pessoas envolvidas no crime. Quem poderia ter se infiltrado na propriedade dos Kaffey sem levantar suspeitas de nada?

         Pra começo de conversa, já fui desconfiando de todo mundo. Sou dessas que só não desconfia do próprio detetive porque sabia que ele estava dormindo quando recebeu a ligação sobre o assassinato. A cada página o mistério fica confuso e parece que não tem avanço algum. Você consegue acompanhar quais são as suspeitas de Peter Decker pelo rumo das entrevistas que ele faz. Achei interessante essa parte, fiquei me sentindo detetive, pois sabia quando desconfiar do suspeito. 

"1. Por que a porta da cozinha estava destrancada?
2. Os assassinos entraram pelas dependências dos empregados, mataram a empregada que dormia e acessaram a casa pela cozinha? Em caso afirmativo, quem os deixou entrar? (...)"

          O que dá pena é saber que meu interesse foi se dissipando quando Peter pareceu se enrolar nos suspeitos e o enredo ficou chato. Sou dessas que se eu amo um gênero, mas não tenho muita experiência de leitura, comparo com o que li antes desse e, como falei antes, Harlan Coben me fez dar um 2/5 para a Faye Kellerman. O modo de investigação narrado em Olhos Vendados não me prendeu como Harlan fez e isso me prova que devo mergulhar de vez nas outras dezenas de obras dele. Fico triste com o interesse inicial que coloquei em Olhos Vendados, mas que me fez quebrar a cara. 

     Olhos Vendados NÃO é um livro ruim. Acho que ele é perfeito pra quem gosta de investigações de um modo mais técnico, mas como eu sou iniciante no gênero, gosto de surpresas que me façam ficar de boca aberta e querendo pular pro final para ver quem é o assassino. Coisa que, infelizmente, não aconteceu comigo com Olhos Vendados. 


  1. Já leu e já resenhou? Tu é um mito!
    Quem amava o Coben era o Bruno Miranda, quando ele tinha o minhaestante ainda, falava um bocado dos livros dele!
    Já leu Marcos Rey? Literatura nacional policial muito boa!
    Beijoss
    seessemundofossemeu.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mulher, a gente tem que ler né não? kkkkkkkkkkk
      Preciso de mais livros dele pq o que eu li só faltei morrer!
      Nunca li não, mas vou procurar aqui migaa

      Beijoo

      Excluir
  2. Que pena que não atendeu às suas expectativas, gosto do gênero, mas muita técnica é meio chato :(

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, antes de ler qualquer outro livro do gênero vou procurar resenhas, assim não me decepciono!

      Excluir
  3. Putz, rolou uma decepçãozinha né? Eu não sou muito fã de suspenses, detetives, crimes e etc, mas quando passo por algo desse gênero, sempre desconfio de todos e sempre acho uma culpinha pra cada um. Que pena que não curtiu :/

    Beijo!
    tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rolou super, Raquel! Queria real ter gostado do livro, é bem minha praia. Mas ele foi bem técnico e eu não sou muito fã da investigação pra esse lado

      Beijoss

      Excluir
  4. Oi, Clarissa!
    Eu também sou dessas que desconfia até da sombra nesses livros hahahaha
    Pena que o livro foi decepcionante pra você. Pra mim acho que seria ruim, porque também não gosto muito de investigações de modo técnico..
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra ao livro Depois do Fim autografado
    Participe do sorteio de aniversário do Balaio de Babados e O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o autor faz questão de fazer a gente duvidar de todo mundo!!!
      Exato, acho que isso que foi a chave de tudo: técnica!

      Beijoss

      Excluir

❤ Proibido usar palavras de baixo calão
❤ Não há moderação de comentários
❤ Deixe o link do seu blog para que eu também possa visitá-lo e segui-lo no Google Friends Connect!