5

Meu Nome é Albert!
Ronaldo Viana S.

1

Duff
Kody Keplinger

2

Quando a Noite Cai
Carina Rissi

3

Lola e o Garoto da Casa ao Lado
Stephanie Perkins

4

(Im)Perfeição
Helena Souza

RESENHA: Lola e o Garoto da Casa ao Lado - Stephanie Perkins

10 julho 2017
Lola e o Garoto da Casa ao Lado
Stephanie Perkins
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
Páginas: 288
Adicione no Skoob - Compre aqui -
Sinopse: A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.

Você acredita em livro certo na hora errada? Eu achava que isso só acontecia com pessoas, mas, de fato, pode acontecer em outras situações também. Aconteceu com Lola e o Garoto da Casa ao Lado, de Stephanie Perkins. Lembro que comprei esse livro na livraria da minha cidade no dia do meu aniversário, 12/08/2014, segundo o que eu mesma escrevi na folha de rosto do livro, em uma ida com a minha mãe. Não lembro se foi com o meu dinheiro ou o dela. Só sei que gostei da capa e de a protagonista ser bem diferente e parecer não ligar pra isso, como eu queria ser. Levei o livro e me decepcionei. Eu tinha exatos 15 anos quando li e nada do que acontecia me fez prender meu interesse no livro, logo o coloquei na estante com um marcador, e ele ficou ali por muito tempo até eu perceber que não terminaria o livro. 

Lola, ou Dolores, Nolan, é uma adolescente de 16 anos um pouco fora do comum. Ela tem paixão por roupas espalhafatosas com glitter e perucas coloridas que chamam atenção por onde ela passa. Ela tem dois pais - gays - que a adotaram quando sua mãe decidiu que não gostava de ser mãe e não abandonaria sua vida de festas para isso. Lola trabalha em um cinema e estuda Ensino Médio em uma escola normal. Mas além disso, tem que lidar com a pressão de seus pais no seu namoro com Max, um carinha de uma banda que tem 22 anos de idade. Não sendo pouco, Lola agora tem que decidir o que sente por Max quando sua primeira paixão volta a morar na casa ao lado da sua. Cricket Bell estava de volta e ela não sabia quais sentimentos voltariam também junto com ele. 

"Não importa que eu seja a filha perfeita. Não bebo, não uso drogas e nunca fumei um cigarro sequer. Nunca bati o carro deles - nem mesmo posso dirigir, por isso também não pagam altas taxas de seguro - e tenho um trabalho decente. Tiro notas boas. Bem, fora Biologia, mas é por princípio que me recuso a dissecar aquele feto de porco."

Eu devo confessar que li os livros da coleção na ordem certa e não sabia. Não há nada no livro que nos faça imaginar que ele é um spin-off e que seria melhor ler o primeiro livro. Bem, Lola e o Garoto da Casa ao Lado é o segundo de uma série chamada Anna, Lola e Isla, da Stephanie Perkins. O primeiro livro é Anna e o Beijo Francês, que li muito antes de ter tentado ler o da Lola e confesso que até hoje é um dos meus livros favoritos. O romance de Anna e o francês St. Clair me deixou boba. O segundo é o da Lola e o terceiro, Isla e o Final Feliz, é o último, que ainda não li nada sobre. O fato de eu ter AMADO a história da Anna e, inicialmente, odiado a da Lola foi estranho. Sempre achei que o livro poderia não ser bom, já que anos atrás o abandonei por não sentir vontade de continuar. Hoje, já percebo que é um livro ÓTIMO sim, mas que eu não precisava ler aquilo quando tinha 15 anos de idade recentes alguns anos atrás. 


"É um baile só para veteranos e ainda faltam alguns meses até lá, mas já estou entusiasmada com meu vestido de Maria Antonieta, para o qual já comecei a juntar os tecidos. Seda dupioni cintilante e tafetá enrugado. Fita de cetim macio. Delicadas penas de avestruz e ricas joias de cristal. Eu nunca empreendi um projeto dessa complexidade, dessa magnitude, e a criação vai tomar todo o outono."

Lola é uma peça. Me identifiquei muito com ela, aliás, quem tem cabelo verde e rosa e quer pintar de azul? Eu mesma. Não é pra chamar atenção ou tentar encontrar uma personalidade perdida. É simplesmente porque me sinto bem assim e gosto disso. Assim como Lola. Ela duvida do seu próprio jeito de ver o mundo graças ao seu relacionamento com Max, no livro. E acho que, mesmo não concordando com muito do que Lola falou, tudo que a Stephanie escreveu no livro realmente acontece quando se está na adolescência e descobrindo quem você é. O romance de Lola e Cricket é lento e mesmo assim gostoso de ler. A autora soube falar dos pais de Lola, Andy e Nathan, da sua mãe com problemas, da melhor amiga de Lola, da irmã gêmea do Cricket e de Max, o namorado. Tudo isso sem deixar chato, ou melhor: deixando melhor ainda. Pense em uma escritora que podia escrever spin-offs a vontade sem deixar chato! E as partes de Anna e St. Clair? Que vontade enorme de reler Anna e o Beijo Francês, depois de anos! 

"As luzes do andar de baixo da casa dos Bell estão acesas, então, até onde sei, a família inteira pode estar na frente da TV assistindo a 8 horas de... alguma coisa. Que seja. Não consigo me concentrar e, agora, estou com raiva. Raiva de Cricket por ele não estar aqui e raiva de mim mesma por me importar com isso."

Dou 4 estrelas por mim mesma. Eu julguei o livro sem pensar em mim. Quando me perguntavam sobre um livro péssimo que abandonei, sempre dizia que era Lola e o Garoto da Casa ao Lado, mas não era ele, e sim EU! Eu não estava pronta pra ler o livro, pois existe sim o livro certo na hora certa, e a hora da Lola foi agora, em Julho de 2017, quase 3 anos depois de ter comprado. A proposta do Clube do Livro foi concluída com sucesso e atrasos. Era pra resenhar um livro abandonado e assim o fiz, com muito prazer. Agora já quero encaixar livros abandonados nas minhas leituras atuais. Livros também merecem uma segunda chance. Lola e Cricket me ganharam só no round 2.





  1. Eu li os três na ordem certa, mas não sabia também! Gostei dos três, mas Anna é o meu favorito. Não gostei muito de Lola, mas com certeza não abandonaria. Que bom que você pensou melhor, beijos!
    http://sophiesamiesarfati.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anna supera todos, sinto muito hahaha. É que a primeira vez que li realmente não me fez bem, então só abandonei na fé e agora me arrependp.
      Beijoss

      Excluir
  2. Oi, Clarissa!
    Eu li esse livro logo depois que li Anna e gostei bastante. Só falta eu ler Isla, mas acho que hoje em dia não ia curtir tanto.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Oeee
    Eu amei esse livro! Li logo depois de ter lido Anna e não sei qual gosto mais haha esse troço de livro na hora errada é uma verdade incontestável, já aconteceu muito comigo!
    Vi que tu comprou Isla na Amazon day, certo? Eu tentei, mas saiu de estoque assim que eu pus no carrinho, desisti e troquei pelo Miniaturista hahha mas um dia eu termino essa série!
    Beijosss
    seessemundofossemeu.blogspot.com

    ResponderExcluir

❤ Proibido usar palavras de baixo calão
❤ Não há moderação de comentários
❤ Deixe o link do seu blog para que eu também possa visitá-lo e segui-lo no Google Friends Connect!