04 abril 2017

RESENHA: A Garota do Calendário (Fevereiro) - Audrey Carlan

A Garota do Calendário (Fevereiro)
Audrey Carlan
Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 135
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em fevereiro, Mia vai passar o mês em Seattle com Alec Dubois, um excêntrico artista francês. No papel de musa, ela vai embarcar em uma jornada de descobertas sexuais e lições sobre o amor e a vida que permanecerão com ela para sempre.
 



          Eu primeiramente gostaria de deixar claro minha felicidade por estar conseguindo postar direitinho o BEDA! Ainda estamos no 4/30 sim, mas vamos na fé que dá tudo certo! A resenha de hoje é do segundo livro da série A Garota do Calendário e eu tenho bastante coisa pra falar dele. Então se você ficou curiosx cola aí que eu preciso falar. 


              Na resenha do primeiro livro, especifiquei que minha nota havia sido 2/5 e o porquê de ser tão baixa. Não foi o gênero, foi apenas o modo como a autora mostrou o cotidiano de Mia. Pra quem ainda não conhece a série, A Garota do Calendário conta a vida de Mia Saunders, uma moça que precisa de dinheiro para 1) pagar uma dívida do seu pai a um carinha do mal, 2) pagar as contas do seu pai no hospital e 3) manter sua irmã mais nova na faculdade. Ela não foi pelo caminho mais simples de conseguir empregos, até porque ela precisava de uma real fortuna em pouco tempo, então aceitou ser acompanhante pela empresa de sua tia. Acompanhante, não prostituta. Uma acompanhante deveria estar ao lado do cara interessado em festas e eventos e CASO houver sexo, a acompanhante ganha um acréscimo de 20% no valor total. É sim uma maneira bem rápida e fácil de ganhar dinheiro, mas mesmo assim a dívida continuaria. Que dívida hein. 

               No primeiro livro, Mia conhece Wes e acaba se apaixonando perdidamente por ele. Falei sobre ele na resenha linkada aqui acima. Maaas no segundo livro, o cara da vez é Alec Dubois, um artista francês. Não sei quem me disse que eu gostaria mais de Alec do que de Wes. Bom, a pessoa se enganou. Assim que Mia deu de cara com Alec, senti uma antipatia imediada pelo sujeito. Tá, pode ter cabelos longos, barba e ser francês. Mas não consegui gostar do jeito dele! Li entediada muitos capítulos, pois assim como Mia, eu ainda pensava em Wes. Amaldiçoei Audrey Carlan, a autora, por ter brincado com meus sentimentos. Como eu ia me apaixonar por um cara diferente a cada livro? Pra quem não sabe: SÃO DOZE! E aí Alec começa a falar meio francês com Mia e eu ficava mais impaciente. Cheguei a dizer que ia jogar o celular na parede quando ele falava "ma cherie"! 

                Bem, a relação de Mia e Alec era o contrário da com Wes. Ele era um artista que precisava de Mia para ser sua musa e ele poder pintá-la. Tá, até aí tudo bem. Mas o cara exigia que Mia andasse nua pelo estúdio e eu achei que ele viajava legal em uns papos loucos de artista. Bem de humanas mesmo. Mia fala que se sente meio liberta quando está com ele e eu não entendo então a obsessão ainda existente por Wes que a cada mensagem enviada ela tinha um treco. Cheguei a falar pra Thainara do Se Esse Mundo Fosse Meu no meio de um documentário sobre um jornal sei lá da aula de História da Mídia que eu daria uma estrela para o segundo livro nessa resenha. Bem, Thai, se você percebeu: dei 4/5. Por que? Devo dizer que Audrey Carlan conseguiu mostrar pra mim que o propósito de Alec aparecer na vida de Mia era outro e que ele precisava ter dito muitas coisas pra ela e ter a retratado em quadros lindos. Mia chora muito quando percebe que Alec ter aparecido na vida dela foi mais do que apenas um acompanhante ou sexo, foi uma busca por si mesma. 



POSTAGENS DO BEDA (BLOG EVERY DAY APRIL)


4 comentários:

  1. Wow, parece que o fim do livro teve uma reviravolta =O Gosto de quando acontece isso, uma surpresa boa do autor. Mas mesmo assim, pelo que contou, não fiquei muuuito interessada no livro. Não pela resenha (que está ótima como sempre!), mas pela história mesmo... Não sei se curto muito o lance da personagem principal ir por esse caminho "mais fácil"... '-'
    Ri demais do "bem de humanas mesmo", consegui imaginar o personagem hahaha E ainda faltam 10 livros, OMG! Vai seguir lendo todos? =O

    Beijos!
    http://tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. "Bem de humanas mesmo." HAHAHAHA. Sinceramente, nunca tinha tido vontade nenhuma de ler essa série... até ler essa resenha. Acho que eu nunca tinha dado muita bola, sabe? Mas agora que conheci melhor a história, gostei! Vou tentar dar uma chance ^^
    Um beijão,
    Gabs do likegabs.blogspot.com ♥

    ResponderExcluir
  3. Hmm parece legal hahaha :D

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oe!
    MANA COMASSIM? Entrei no post e vi 4 estrelas, fiquei chocada hahaha como tua opinião mudou em apenas dois capítulos? Tu tava no 8° e ainda odiando hahaha
    Mas enfim, gostei da resolução, às vezes o livro te surpreende muito mesmo!
    Beijos!
    seessemundofossemeu.blogspot.com

    ResponderExcluir

❤ Proibido usar palavras de baixo calão
❤ Não há moderação de comentários
❤ Deixe o link do seu blog para que eu também possa visitá-lo e segui-lo no Google Friends Connect!