Facebook

30 março 2017

RESENHA: O Duque e Eu (Os Bridgertons #1) - Julia Quinn

11 comentários:
O Duque e Eu
Os Bridgertons #1
Editora: Arqueiro
Páginas: 281

Sinopse:
Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.




20 março 2017

RESENHA: Rumor - Leonardo Torres

32 comentários:
Rumor
Leonardo Torres
Editora: Editora Multifoco
Páginas: 456
Adicione no Skoob - Compre aqui----- Sinopse: Ser ou parecer? Faz diferença no mundo das celebridades? Foi um mal entendido que levou o nome da modelo Dalila Arce aos principais sites de fofoca, apontada como a nova namorada do roqueiro internacional Zac Cullum, que ela nunca viu na vida. Com o rumor, vieram os convites para vários trabalhos e muita bajulação. Como ela poderia desmentir tudo com tantas portas se abrindo? Da noite para o dia, Dalila se torna o nome do momento e se vê obrigada a administrar uma rede de mentiras que cresce mais ainda quando, de fato, conhece o cantor. A mídia já fala em casamento. Será? Uma história sobre uma garota que se deixou levar e perdeu o controle – e a noção! – do que é verdadeiro ou falso, incluindo seus próprios sentimentos.
*Este livro foi disponibilizado em parceria com o autor Leonardo Torres.
 

18 março 2017

REVIEW: A Bela e a Fera nos cinemas

21 comentários:

A Bela e a Fera
Beauty And The Beast
Ano de lançamento: 2017
Elenco: Emma Watson e Dan Stevens
Classificação etária: Livre
Sinopse: Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela tem o pai capturado pela Fera e decide entregar sua vida ao estranho ser em troca da liberdade dele. No castelo, ela conhece objetos mágicos e descobre que a Fera é, na verdade, um príncipe que precisa de amor para voltar à forma humana. (Adoro Cinema)



16 março 2017

O dia bizarro em que eu "quase" dei adeus ao mundo #STAG

8 comentários:


           O post de hoje faz parte de um projeto do QG dos Blogueiros em parceria com o Swonkie e o Voozer. Assim que vi a proposta já pensei em participar de imediato mesmo que não soubesse uma história que é marcante na minha vida. Ao pensar em situações engraçadas lembrei logo do Dia Em Que Eu Quase Morri. Juro que se eu lembrasse da data exata faria ser um feriado na minha vida em que eu agradeceria por estar viva. A maior coincidência foi ver que uma das fotos para usar no post ilustravam quase que exatamente o acontecimento. Então presta atenção aí na historinha e tenta não rir!

Pra quem não sabe, eu sou de Pernambuco e a sensação do Recife é o parque de diversões bem topster (to pegando umas gírias que meu Deus) chamado Mirabilândia. Lembro que eu tinha uns 12 anos de idade quando fui pela primeira vez com a escola. Sim, levavam como "excursão" pra passar uma tarde no Mirabilândia no tempo de Halloween em que era bem típico de parques de diversões ter coisas com monstros e tal. A história que eu vou contar aconteceu na minha terceira vez no parque. Eu tinha uns 14 anos de idade quando fui para o Mirabilândia com a minha escola "nova" da época e claro que me juntei com umas amigas minhas para ir nos brinquedos mais badalados do parque. Nas outras vezes em que fui por lá, fiquei só nos básicos por medo absurdo de cair de um brinquedo hardcore - era o que tinha por lá. Uma pena que assim que coloquei os pés no lugar em um dia qualquer de 2013, minhas amigas me fizeram estrear o dia em um brinquedo que jurei de pés juntos que nunca iria. O tal Thunder. Pra você ter ideia de como é o Thunder, é só dar uma olhada na foto do post. É esse bendito brinquedo aí sendo que ele não ficava totalmente assim de cabeça pra baixo. Chegava a quase isso. Eu me tremi, pedi a Deus que eu não morresse naquele momento, e, me tremendo sentei na cadeira e comecei a rezar. O brinquedo começou a girar e eu segurava a proteção com a maior força que já fiz em toda a minha vida. Foi F#DA! Ele é bem aterrorizante de fora, mas lá dentro nem dá medo e é bem legal até. Depois dele eu estava preparada para todos os outros brinquedos, já que o Thunder era o pior e mais famoso. Pulando um pouco para o momento clímax da história: passava-se das 18:30 e as luzes do Mirabilândia brilhavam e brilhavam.

"Vamos no Thunder de novo?"

Assenti antes de raciocinar. Era de noite! Imagina ver Recife de cima à noite? Pulei pra fila enooorme e quilométrica e esperei por infinitos 20 minutos até ficar quase na catraca esperando a minha vez. Quando esse momento chegou eu já podia sentir a adrenalina na veia. Ir no Thunder de dia e de noite é uma experiência completa do pack de iniciante. Antes que a última rodada antes de mim parasse, senti um pingo no meu braço. Ignorei e continuei encarando o grande brinquedo girando láaa no céu. Outro pingo. Mais pingos. Sim, começou a chover. Grande coisa né? Bem, devo falar de uma conversa que tive com minha mãe no mesmo dia antes de sair de casa.

Mãe: Cuidado, sempre segure sua bolsa. Ligue pra mim qualquer coisa e pelo amor de Deus não vá em nenhum brinquedo se tiver chovendo que é extremamente perigoso.

A fala da minha mãe ecoou mil vezes na minha cabeça e o brinquedo já estava parando. A chuva estava fraca e refrescante. Todos comemoravam e eu só sabia pensar no que minha mãe disse. Não seria a primeira vez que eu daria uma de Chapeuzinho Vermelho e iria pelo caminho do Lobo Mau que ela disse que não era pra ir. A primeira vez tinha dado tão mal que eu pensei seriamente em sair da fila e arregar. Mas aí minha amiga me empurrou e eu passei pela catraca. A chuva continuava fraca, mas eu já tremia tanto de medo que nem sabia em qual cadeira da morte eu sentaria. Assim que me acomodei fiz questão de contar minha conversa para a amiga que estava do meu lado direito.

Amiga: Meu Deus! Será que dá algum curto? Tá engrossando e não dá pra desistir. Vamos rezar!

Sim. Rezar. O moço veio trancar cada uma de nós e eu perguntei mil vezes se havia algum perigo em ir na chuva. Eis o que ele disse exatamente:

Moço do brinquedo: Temos um alarme de emergência, quando a situação está fora do controle o brinquedo se desliga sem perigo nenhum. 

Isso não me acalmou. Não mesmo. Situação fora do controle? Me segurei no ferro e dei minha mão direita à minha amiga. Ela a segurou com força e sussurramos juntas: Pai Nosso que estais no céu...
Assim que o brinquedo começou a girar, uma música começou a tocar e eu comecei a chorar. Nem sabia mais se estava molhada de chuva ou de lágrimas. "Minha morte vai ter trilha sonora", pensei. Foi aí que Don't You Worry Child do Swedish House Mafia começou a tocar no brinquedo. Essa era a música que mais tocava nas rádios e eu fiquei aliviada porque poderia me distrair cantando. 



Comecei a cantar gritando enquanto engolia água de chuva que havia virado um toró. 

There was a time I used to look into my father's eyes
Teve um tempo que eu costumava olhar nos olhos do meu pai

In a happy home, I was the king I had a gold throne
Em uma casa feliz, eu era o rei e tinha um trono de ouro
Those days are gone, now the memories' on the wall
Esses dias se foram, agora as memorias estão na parede
I hear the songs from the places where I was born
Eu ouço as músicas dos lugares em que nasci

[...]

Juro que a chuva estava tão forte que eu não enxergava nada. Eu ainda estava de mãos dadas com a minha amiga quando o brinquedo subiu lá no alto girando. O frio era absurdo, mas eu e as outras pessoas só cantávamos como se realmente fossemos morrer.

Don't you worry, don't you worry child
Não se preocupe, não se preocupe criança
See heaven's got a plan for you
Vê, o paraíso tem um plano pra você

E foi lá no céu que refleti sobre a letra da música e entrei em pânico. Era a música oficial da minha morte. Em um minuto vi passar na minha cabeça meu futuro que eu nunca alcançaria. Eu nunca iria arrumar um namorado, fazer faculdade, casar, ter filhos, viajar o mundo. Eu seria conhecida como a menina que morreu em um brinquedo de um parque de diversões que nem os 382849235 vídeos de acidentes em parques de diversões que eu havia visto na noite anterior. E foi aí que pedi realmente a Deus que eu não morresse ali. Não estava na minha hora. Pode parecer loucura e você deve estar rindo nesse momento, mas eu juro que as luzes do brinquedo piscaram várias vezes. Falharam. Alarme de emergência? Nunca vou sabe, pois brinquedo desceu na hora e eu ainda me tremia de frio e medo e Don't You Worry Child ainda tocava. Jurei ali que nunca mais iria nesse brinquedo. Assim que contei essa história pra todo mundo, ouvi risadas e risadas. Ouvi comentários sobre Chapeuzinho Vermelho e até mesmo sobre a música da minha morte. Isso me fez encarar a situação com outros olhos. Eu era tão ingênua que não tinha parado pra pensar na segurança de um parque de diversões e no voto de confiança que o moço do brinquedo me deu. Assim que saí do brinquedo naquele dia, ainda chovia muito e foi a primeira vez em que eu tomei banho de chuva, dancei na chuva e pulei em poças cheias como se realmente não houvesse amanhã. Haveria sim um amanhã. Houveram mais de 600 amanhãs depois daquele dia, mas eu aproveitei tanto que hoje ao escrever esta história por aqui enquanto ouço Don't You Worry Child pela sétima vez, posso rir e sentir as exatas emoções que senti naquele dia. O dia bizarro em que eu quase dei adeus ao mundo não passa de uma hipérbole, mas que para uma menina de 13 anos era real. Depois de alguns anos subi no Thunder de novo e pedi mentalmente que tocasse Don't You Worry Child - o que não aconteceu. Mas sei o porquê: a música era a do momento, se aquela não fosse a trilha sonora, aquele mero dia de 2013 não seria tão importante pra mim. Foi o dia que eu soube aproveitar DE VERDADE e relaxar um pouco.

Moral da história: 

Não vá em brinquedos perigosos em parques de diversões 
Não vá em brinquedos perigosos em parques de diversões na chuva
................................ Brincadeira. Viva intensamente, mas com cuidado sim.



Este post faz parte do projeto #STAG do QG dos Blogueiros! Participem!!

Blogs que indico para responder a #STAG:

Se Esse Mundo Fosse Meu (gente vocês nem acreditam que a própria Thainara Amorim estuda comigo na UFPE e dividimos biscoito no ponto de ônibus e falamos sobre Tampico. Ou foi com a irmã gêmea dela que falei de Tampico?)

13 março 2017

Umas parcerias que vem por aí...

16 comentários:
                Nunca pensei que ia dizer isso, mas tá faltando tempo na minha vida pra ler, assistir e o principal: postar no blog. Tudo isso porque comecei a faculdade, mas juro que vou cronometrar meu tempo pra ter postagem sempre por aqui e vai ter BEDA (Blog Every Day April) sim senhor! Já faz um tempão que estou pra escrever um post especialmente pra falar das parcerias com um montão de autores aqui no blog. Então vamos lá conhecer um pouquinho cada um!

Leonardo Torres

Leonardo Torres é jornalista, escritor e blogueiro. Seu primeiro livro, “Condenáveis – Uma História de Filho e Pai”, foi lançado de forma independente em 2012, com conteúdo autobiográfico. Na obra, o autor conta como descobriu pela TV sobre a prisão do pai e como a notícia inspirou uma reflexão profunda sobre seus laços familiares. Seu novo título é “Rumor”, uma ficção, que trata do relacionamento forjado entre uma modelo brasileira e um roqueiro americano: tudo por visibilidade na mídia. O livro sai pela editora Multifoco. Formado em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo Cultural, o escritor atualmente cursa o mestrado em Artes da Cena. Leonardo escreve sobre música pop para o Portal POPline e sobre a cena teatral carioca no Teatro em Cena, fundado por ele.


Ser ou parecer? Faz diferença no mundo das celebridades? Foi um mal entendido que levou o nome da modelo Dalila Arce aos principais sites de fofoca, apontada como a nova namorada do roqueiro internacional Zac Cullum, que ela nunca viu na vida. Com o rumor, vieram os convites para vários trabalhos e muita bajulação. Como ela poderia desmentir tudo com tantas portas se abrindo? Da noite para o dia, Dalila se torna o nome do momento e se vê obrigada a administrar uma rede de mentiras que cresce mais ainda quando, de fato, conhece o cantor. A mídia já fala em casamento. Será? Uma história sobre uma garota que se deixou levar e perdeu o controle – e a noção! – do que é verdadeiro ou falso, incluindo seus próprios sentimentos.



10 março 2017

Agradeço imensamente pelas cobranças sobre crase - 12 cartas em 12 meses

7 comentários:

"Saudações, D.E

Nem sei se é assim que começamos uma carta, mas minha mãe sempre me disse que não sabemos se é dia ou noite quando a pessoa for ler, por isso é preciso dizer "saudações". Não sei se assisti alguma aula sua sobre isto. Peço logo desculpas pelo meu português. Para mim ele está ótimo, mas sei que a senhora deve ter registrado mentalmente erros gravíssimos com vírgulas que eu sempre fazia questão de deixar nas suas provas e redações. Falando nisso, já xinguei muito minhas notas em Português, que passaram a ser baixíssimas desde que a senhora passou a ser minha professora no 1º ano do Ensino Médio. Lembro que pensei em desistir do meu sonho de ter um futuro nessa área da escrita a cada 5,5 que eu recebia. Como eu poderia tirar aquelas notas? Confesso que eu não estudava para as suas provas, mas para a minha salvação, digo com certeza D.E, que não havia o que estudar. Português é um treco meio difícil de sentar e estudar e eu nunca decorava as regras gramaticais de 3 folhas que a senhora entregava. Tenho recordações de uma infinita sobre Concordância Verbal. Mas depois de três anos posso dizer que tudo que passei significou muito e pesou na minha escolha atual na Universidade. Se não fosse por suas cobranças incensáveis, eu certamente não teria ficado louca tentando corrigir meus erros nas redações com medo de uma advertência no fim da folha. Se não fosse por sua paixão ao ministrar tão bem sua matéria, eu não teria me apaixonado tanto pelas palavras e pelo significado que uma combinação de letras pode ter. Se não fosse pela sua ajuda, eu também não teria conseguido vencer um concurso de Redação, um dos melhores momentos da minha vida. E se não fosse por sua confiança em mim a cada olhar, eu não estaria escrevendo esta carta diretamente do meu segundo dia de aula de uma Universidade pública em um curso que a senhora sabe que eu posso chamar de meu. Agradeço imensamente pelas cobranças sobre crase. Se não fosse por elas, eu também não teria prestado tanta atenção em cada coisa que leio e em cada "a" que eu escrevo. Agradeço por fim por nossa última conversa. Por seu olhar que transbordava orgulho e que dizia "vai e segue teu coração". Mesmo eu tendo rido quando a senhora disse que eu tivesse juízo, acredite, eu já estou com meu juízo no lugar, viu? E vou sempre lembrar de suas palavras, seus abraços, suas ameaças loucas em sala e de suas conversas sobre a vida. Eu espero do fundo do meu coração que um dia eu possa apontar para a senhora na rua e dizer aos meus filhos o seguinte: "Foi essa mulher que me ajudou a chegar onde cheguei, foi minha professora e acima de tudo amiga."

Obrigada ponto final"

07 março 2017

REVIEW: Cinquenta Tons Mais Escuros nos cinemas

10 comentários:

Cinquenta Tons Mais Escuros
Fifty Shades Darker (II)
Ano de lançamento: 2017
Elenco: Jamie Dornan e Dakota Johnson
Classificação etária: Proibido para menores de 16 anos
Sinopse: Incomodada com os hábitos e atitudes de Christian Grey (Jamie Dornan), Anastasia (Dakota Johnson) decide terminar o relacionamento e focar no desenvolvimento de sua carreira. Ele, no entanto, não desiste tão fácil e fica sempre ao seu encalço, insistindo que aceita as regras dela. Tal cortejo acaba funcionando e ela reinicia o relacionamento com o jovem milionário, sendo que, aos poucos, passa a compreender melhor os jogos sexuais que ele tanto aprecia.
 

03 março 2017

RESENHA: Paixão e Crime - João Paulo Balbino

10 comentários:
Paixão e Crime
João Paulo Balbino
Editora: Luva Editora
Páginas: 110
Adicione no Skoob -
Compre aqui (R$ 14,90!)
Sinopse: Paixão e Crime. Duas palavras distintas, porém tão próximas. Não seria surpresa se você conhecesse ao menos uma história envolvendo ambas. Mas qual o elo entre elas? E quais barreiras morais uma pessoa seria capaz de transgredir por uma paixão? Sara – renomada psicóloga – ao manter um caso às escondidas com o namorado de sua paciente, jamais imaginaria que ele seria misteriosamente assassinado, o que a coloca em um dilema: contar o segredo e destruir sua carreira de sucesso, ou ficar em silêncio e despontar como a principal suspeita? Já Helena, serial killer que ganha a vida se prostituindo, descobre que sua última vítima mortal parece estar viva. Mas como?
*Livro cedido em parceria com a editora


02 março 2017

A busca pelo reconhecimento em Legalmente Loira (2001) #oldbutgold

16 comentários:
Legalmente Loira (Legally Blonde)
Ano de Lançamento: 2001
Elenco: Reese Witherspoon
Classificação etária: Livre
Sinopse: Elle Woods (Reese Whiterspoon) é uma garota que tem tudo que possa querer. Ela é a presidente da fraternidade de onde estuda, Miss Junho no calendário do campus e, além disso, uma loira natural. Elle ainda namora o mais bonito garoto de seu colégio, Warner Huntington III (Matthew Davis), com quem inclusive planeja se casar no futuro. Mas Elle tem um problema que incomoda Warner: ela é fútil demais! Até que, quando Warner vai estudar Direito na Universidade de Harvard, ele passa a namorar uma nova garota (Selma Blair) e decide largar Elle, que não se dá por vencida e decide estudar a fim de também passar para o curso de Direito e ainda por cima provar sua inteligência. (Adoro Cinema)