30 dezembro 2017
RESENHA: Suzy e as águas-vivas - Ali Benjamin

RESENHA: Suzy e as águas-vivas - Ali Benjamin

Suzy e as águas-vivas
Ali Benjamin
Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 223
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Às vezes, quando nos sentimos mais solitários, o mundo decide se abrir de formas mágicas. Suzy Swanson está quase certa do real motivo da morte de Franny Jackson. Todos dizem que não há como ter certeza, que algumas coisas simplesmente acontecem. Mas Suzy sabe que deve haver uma explicação — uma explicação científica — para que Franny tenha se afogado. Assombrada pela perda de sua ex-melhor amiga — e pelo momento final e terrível entre elas —, Suzy se refugia no mundo silencioso de sua imaginação. Convencida de que a morte de Franny foi causada pela ferroada de uma água-viva, ela cria um plano para provar a verdade, mesmo que isso signifique viajar ao outro lado do mundo... sozinha. Enquanto se prepara, Suzy descobre coisas surpreendentes sobre o universo — e encontra amor e esperança bem mais perto do que ela imaginava. Este romance dolorosamente sensível explora o momento crucial na vida de cada um de nós, quando percebemos pela primeira vez que nem todas as histórias têm final feliz... mas que novas aventuras estão esperando para florescer, às vezes bem à nossa frente.


      Lembro que quando vi a capa desse livro, coloquei na minha lista de leitura. É incrível como a capa dá toda uma beleza para o livro, né? Mas infelizmente, acontece de a capa ser mais bonita do que o conteúdo em si. Não que o livro não tenha sido bom, até foi, mas eu esperava mais e sei que a autora poderia ter explorado o assunto melhor. 

"Fazia exatamente um mês que a Pior Coisa tinha acontecido, e quase esse mesmo tempo que eu tinha começado a adotar o não-falar."

      No livro, Suzy sofre uma terrível perda que vai abalar sua vida. Sua ex melhor amiga morre afogada. O grande problema acerca disso foi o afogamento. Como Franny poderia se afogar se nada perfeitamente bem desde criancinha? Suzy não consegue acreditar que deixou que as coisas entre elas terminassem do jeito que terminou e colocou na cabeça que descobriria a causa real da morte de Franny e seria um pedido de desculpas. A menina então se convence que quem matou Franny foi uma espécia raríssima de água-viva. Seria sua teoria a correta?

       No começo, fiquei com tédio por causa de TANTA água-viva. Sério, a protagonista repete tanto, mas tanto que você tem horas que pensa "CHEGA!!". Depois de um tempo, passei a me interessar um pouco no assunto de tanto que ela falou e a Suzy começou a ME convencer de que a água-viva realmente matou Franny.

"Às vezes a gente quer com tanta força que as coisas mudem que não suporta nem sequer estar na mesma sala com as coisas do jeito que realmente são."

      O livro é intercalado com memórias do passado das amigas, desde o começo da amizade das duas até o último dia que se viram e com o presente, quando Suzy procura especialistas em águas-vivas que possam provar pra ela que foi essa a causa da morte da amiga. Com isso, vemos que Suzy parece ficar cada vez mais desesperada em encontrar respostas e aos 13 anos de idade planeja uma viagem sozinha para a Austrália, atrás do melhor especialista no ramo das águas-vivas. 

    O livro é e não é previsível. Como disse, achei que a Ali Benjamin poderia ter explorado um pouco mais sobre o que a Suzy estava passando de fato e menos nas informações sobre águas-vivas. O luto acontece de diferentes formas para cada pessoa e gostei de a autora tornar esse assunto mais juvenil. Suzy e as águas-vivas é um drama juvenil, sim. O amor entre amigos e família está presente durante todo o livro e, por mais que não tenha de fato sido emocionante, trouxe uma liçãozinha de vida. 

   A diagramação é ótima. Bem simples, mas achei a cara da Suzy. Cada capítulo é dividido de uma forma bem juvenil e com a mesma fonte do título do livro na capa, o que eu achei muito fofo. Como já falei da capa, vou reforçar o quanto ela é linda. Acho que teria sido show se a cena da capa de fato acontecesse no livro, pois é realmente linda. Acho que faltou uma aproximação de Suzy com as águas-vivas no fim do livro também, pois achei meio solto do próprio título.

"Tudo tinha acabado da pior maneira entre mim e a Franny. Se eu soubesse, teria pedido desculpas pelo jeito como as coisas aconteceram. Teria pelo menos dito adeus. Mas a gente nem sempre percebe a diferença entre um novo começo e um fim do tipo pra sempre. Agora era tarde demais para consertar qualquer coisa."
28 dezembro 2017
RESENHA: Namorado de Aluguel - Kasie West

RESENHA: Namorado de Aluguel - Kasie West

Namorado de Aluguel
Kasie West
Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 250
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse:
Quando Bradley, o namorado de Gia Montgomery, termina com ela no estacionamento do baile de formatura, ela precisa pensar rápido. Afinal, ela vem falando dele para suas amigas há meses. Esta era para ser a noite em que ela provaria que ele não é uma invenção de sua cabeça. Então, quando vê um garoto esperando pela irmã no estacionamento do baile, Gia o recruta para ajudá-la. A tarefa é simples: passar por namorado dela — apenas duas horas, nenhum compromisso, algumas mentirinhas. Depois disso, ela pode tentar reconquistar o verdadeiro Bradley. O problema é que, alguns dias depois do baile, não é em Bradley que Gia está pensando, mas no substituto. Aquele cujo nome ela nem sabe. Mas localizá-lo não significa que o relacionamento de mentira deles acabou. Gia deve um favor a esse cara, e a irmã dele tem a solução perfeita: a festa de formatura da ex-namorada dele — apenas três horas, nenhum compromisso, algumas mentirinhas. E, justamente quando Gia começa a se perguntar se pode transformar seu namorado falso em real, Bradley reaparece, expondo sua farsa e ameaçando destruir suas amizades e seu novo relacionamento. Inteligente e maravilhosamente romântico, Namorado de aluguel retrata a jornada inesperada de uma garota para encontrar o amor — e possivelmente até a si mesma.
 

     Faz bastante tempo que tento começar a ler esse livro, mas sempre adiei a leitura. Só pude fazer isso até certo ponto já que o livro esteve na minha meta de leitura do Skoob o ano inteiro e só ele eu não havia lido ainda. Dos 25 livros na lista, Namorado de Aluguel foi o 25º e posso dizer que fechou com chave de ouro. É um young adult bem legal e com muitas lições de coragem e amizade, ao contrário do que eu esperava. 

"Oi? Era minha formatura. Ele ia mesmo me fazer entrar sozinha no baile onde eu provavelmente seria coroada rainha?"

    Gia é uma das garotas mais populares do colégio e presidente do conselho estudantil. Ela é notada por todos, mas não nota ninguém além de suas amigas. Seu namorado universitário termina poucos antes da entrada de um baile que Gia tinha planejado tudo: finalmente mostraria as amigas que namorava um cara universitário que era real. Todo o plano foi por água a baixo e sua única solução foi pedir a um garoto que tinha ido levar a irmã para ser seu namorado de mentira só por essa noite. Mal ela sabe que esse segredo e as mentiras aumentariam e mudariam sua vida. 

    Eu jurava que esse livro era 100% clichê. Não tinha como não ser, certo? O mocinho finge ser namorado da mocinha e eles acabam juntos no final, um puro romance blá blá blá bem água com açúcar. Claro que Kasie West quis fazer diferente e transformar Namorado de Aluguel em um young adult, onde a protagonista Gia não estaria inteiramente interessada na sua vida amorosa. Não quando tem problemas com família, identidade, amizades e com seu futuro. 

"- Daqui a dez anos, quando as pessoas pensarem no ensino médio, vão  lembrar do seu nome. Vão saber quem você era.
Como as pessoas saberiam quem eu sou, se nem eu mesma sabia?"
    O livro mostra que por mais que seja na adolescência que as crises aconteçam, você não precisa necessariamente ficar no chão. E que se todas as meninas namoram, você não precisa namorar também só porque elas namoram. Você não precisa ser o que querem que você seja e nem aceitar tudo com um aceno de cabeça. Gia questiona muita coisa da sua vida, incluindo as pessoas que ela andava e as pessoas que ela julgava e por isso passava longe. Namorado de Aluguel mostra um cenário típico de Ensino Médio no mundo todo e também o que o vício nas redes sociais e a aceitação no meio social afeta as pessoas. Acho que todo mundo já foi um pouco Gia na vida e ela precisou passar pelos perrengues do livro para descobrir quem ela era. Gosto muito de livros assim.

    Óbvio que o livro tem um romancezinho. O que é um young adult sem romance? É muito lindo ver como ela se relaciona com o mocinho e como o foco da autora não foi evidenciar o relacionamento dos dois, mas o quanto eles cresceram juntos como amigos, sabe? Claro que o livro é sim clichê a certo ponto. O nome do livro é Namorado de Aluguel, oras. Não tinha como sair muito desse eixo e uma coisa negativa que achei do livro foi justamente a superficialidade de algumas coisas. Acho que tem muitas partes que a autora poderia ter evidenciado um pouco mais por serem tão frequentes na vida de um adolescente, mas ela fez parecer "normal", sabe? Como se por a protagonista ter seus 16/17 ela precise aceitar estar errada em situações familiares. Mas tirando isso, gostei bastante do livro e já quero conhecer outras obras da autora. 

"Eu me importava com o que os outros pensavam sobre mim. Apagava fotos ou tuítes que não tinham muitas curtidas. Media meu valor nesses termos. Devia ser a garota mais superficial da face da Terra, e só agora eu descobria isso."


"Eu nunca me mostrei. Nunca me conheci de verdade." 
26 dezembro 2017
RESENHA: Caixa de Pássaros - Josh Malerman

RESENHA: Caixa de Pássaros - Josh Malerman

Caixa de Pássaros
Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 272
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler. Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.
 

    Confesso que nem lembro quando comprei esse livro, só sei que comprei. Penso que foi em uma de minhas idas à livraria do shopping. Juro que não posso entrar sem sair com um livro, o nome disso é consumismo, minha gente. Mas sei que valeu muito a pena ter comprado Caixa de Pássaros. Foi um dos únicos livros que comprei confiando 100% nas inúmeras resenhas positivas que li a respeito e o livro foi realmente uma leitura muito aflita. 

    Em Caixa de Pássaros conhecemos Malorie, que sobreviveu a uma crise de mortes no mundo com seus dois filhos. A causa dessas mortes? Suicídio em epidemia explicado por alguma criatura que quando o ser humano a vê, enlouquece completamente a ponto de tirar sua própria vida de modos macabros. A população, então, é instruída a não sair de casa e, se precisar sair, usar vendas. Depois de 6 anos planejando sua fuga de casa, Malorie precisa confiar em seus instintos e em seus filhos para os três percorrerem um rio de olhos vendados à procura de abrigo. 

"Fios passam por baixo da porta dos fundos e chegam até os quartos do primeiro andar, onde amplificadores alertam Malorie e as crianças para qualquer barulho que venha de fora da casa. Ficam bastante tempo sem sair. E, quando saem, estão vendados."


     Não é de terror. Não mesmo. Nem um pouquinho. Sei que a sinopse fala de medo e terror e tal, mas 0 terror. O que eu senti foi aflição, sabe? Tipo quando você vê um filme de cobras e ela se aproxima do mocinho. Aflição. Praticamente engoli todos os capítulos de Caixa de Pássaros, pois a narrativa é tão engajada que logo no início você se pergunta o seguinte: onde Malorie está? o que aconteceu com o resto do mundo? para onde ela vai? quem são as criaturas? o que aconteceu com seus amigos? 

    Eu jamais pararia de ler sem saber a resposta de todas elas, mas infelizmente (ou felizmente para alguns), o autor deixou muitas delas soltas, deixando tudo à cargo da própria imaginação do leitor. Achei tudo uma sacada de mestre. Eu mesma li e imaginei meu próprio cenário onde não podíamos enxergar algo que pode nos matar. Outra pessoa pode ter lido e imaginado tudo isso uma farsa, um experimento do governo, uma planta, um lobo com poderes sobrenaturais, um programa de TV tipo Jogos Vorazes, LITERALMENTE qualquer coisa. O que importa é o que vemos no livro: não dá pra olhar para o que quer que esteja fazendo as pessoas se matarem. 


"Malorie precisa que as crianças ouçam para além das árvores, para além do vento, para além das margens sujas que levam a todo um mundo de criaturas vivas. O rio é um anfiteatro, pensa Malorie enquanto rema. Mas também é um túmulo."

    Caixa de Pássaros é narrado em terceira pessoa e isso facilitou muito o entendimento da trama. Eu não curto muito esse tipo de narração, não sinto a personalidade do personagem dessa forma, mas os capítulos são alternados entre o "momento do descobrimento das mortes" até o presente, que é a fuga de Malorie. Tudo faz perfeito sentido durante o livro e o clímax te deixa com os olhos sem piscar. Quase passo mal, gente. Josh Malerman, não faça mais isso comigo. Vi muita gente inconformada com o final, mas é isso mesmo, nem todos os autores gostam dos pingos nos is. Eu odiei o final quando terminei de ler, só alguns segundos depois que fui recapitulando e vendo o quão  f*da foi todo o livro. 

   Então, se você está procurando um suspensezinho meio investigativo pra esquentar suas leituras em 2018, invista em Caixa de Pássaros!
   
"Quão longe uma pessoa consegue ouvir?"
24 dezembro 2017
Pequenas e Grandes Conquistas de 2017 + TAG Natalina

Pequenas e Grandes Conquistas de 2017 + TAG Natalina

     Ano passado criei um quadro aqui no blog em que eu faço uma retrospectiva do ano com conquistas, desde pequenas até as grandes, que fizeram meu ano. 2017 foi muito especial pra mim, então compartilhar aqui com vocês tudo que me orgulha significa muito pra mim!
  • Passei na Federal. Sinto que esse deve ser o primeiro ponto, porque eu realmente achava que não ia passar na pública. No último Pequenas e Grandes Conquistas, de 2016, contei como fiquei emocionada por ter passado em TRÊS faculdades em Jornalismo, mas nada se compara a Comunicação Social na UFPE, né? 
Você quer 2017.1 (e alguns intrusos)?

  • Mudei de cidade para cursar a Universidade. Sim! Esse plano era meu sonho há muito tempo e eu consegui. Hoje moro em Caruaru, a querida capital do Agreste de Pernambuco e não me arrependo de ter escolhido vir pra cá nem quando passo 2 horas na estrada pra voltar pra casa dos meus pais.

  • Criei responsabilidades de dona de casa haha. Vim morar inicialmente com mais 3 meninas, mas acabo 2017 morando com uma só e amo cada pedaço desse lugar. Sei que estou onde deveria estar, mesmo com as dificuldades que aparecem todos os dias. Inclusive, eu costumava fazer posts todo mês sobre como estava sendo a adaptação aqui, confere lá a comédia que foi!
  • Conheci pessoas que me fizeram compreender a maturidade. Sim, acho que esse foi o ponto alto do meu 2017. Conheci pessoas que vão estar pra sempre comigo no meu coração. Pessoas que são tão diferentes de mim, mas ao mesmo tempo tão iguais e que com certeza me ensinaram muita coisa e me fizeram evoluir de alguma forma.
  • Me apaixonei pela MPB. Gente, hoje o que eu mais escuto é música brasileira, sério. Nem precisa ser MPB, mas as músicas em português dominam minhas playlist como nunca acontecia. 
  • Aprendi a valorizar e amar a cultura pernambucana e brasileira. Também né? Meu curso tem ênfase em Produção Cultural, eu quase que literalmente não aguento mais ouvir falar de cultura, mas eu sou um ser cultural, não posso negar meus amores né? 
  • Com meu amor para com a cultura pernambucana, me apaixonei pelo forró. Se tem uma pessoa atemporal em relação a música, essa sou eu. É Novembro e no meu fone de ouvido está tocando Luiz Gonzaga, viu?
  • Monetizei o blog. Existe coisa melhor do que receber nosso querido real pelo seu esforço? Agora assim posso com certeza afirmar que o blog é meu emprego e emprego melhor que esse não existe!
  • Assumi meus cachos. Acho muito importante dizer que essa fase é memorável, eu nunca tinha amado meu cabelo como amo atualmente. Amo meus cachos, meu volumão e até meu frizz no day after. Sou cacheada sim e quem está incomodado com meus cachos verdes mesmo? 

Euzinha no começo da transição (primeira foto) e no fim da transição (última foto).
  • Estagiei. Sim, estágio mesmo. Mesmo sendo meio voluntário, amei a experiência que me trouxe e eu sempre quis estar envolvida em projetos sociais e por meio dele consegui!
Eu bem jornalista entrevistando a Júlia Lira (fofíssima) do volumealto.com em um desfile organizado pelo meu estágio.

  • Completei 200 livros lidos. AAAAAAAH! Dá pra acreditar que li 200 livros e só tenho 18 aninhos? Me orgulho de ser uma menina muito literária hahah. 
  • Me esforcei como nunca para que o blog crescesse E ELE CRESCEU! Acho que posso esperar que 2018 me traga muitas realizações, pois amo escrever sobre o que leio e incentivar a leitura nem que seja um pouquinho. Só agradeço do fundo do meu coração a quem me acompanha por aqui e pelo Instagram, vocês são incríveis!
  • Fui na minha primeira Bienal e aindaa por cima com credencial. Beeem influenciadora digital mesmo, só que não. Comprei vários livros, claaaro.

Vamos para a segunda parte do post, sem medo nenhum de deixá-lo enorme haha. Escolhi uma tag literária bem natalina que vi no blog A Colecionadora de Histórias e trouxe pra cá bem na cara de pau mesmo, pra completar com chave de ouro esse Natal.


1. (Topo) Um livro que você “necessite” ganhar de natal, mais um que marcou 2017 e outro que você está ansioso(a) para chegar logo 2018

---> Livro que necessito ganhar de Natal (Já me dei de presente de Natal o livro Caraval, mas tudo bem haha):


---> Livro que marcou 2017: 


Esse livro fez meu 2017, pois me fez ter esperanças sabe? Ele reflete muito do que eu passei esse ano e me inspirou bastante. 

---> Livro que estou ansiosa para chegar em 2018:


2. (Tronco) Um filme que você ainda tem que assistir esse ano, mais um que te marcou em 2017 e outro que você espera para 2018.

---> Filme que ainda tenho que assistir esse ano:


---> Filme que me marcou em 2017:


---> Filme que eu espero para 2018:


50 Tons de Liberdade de certeza!

3. (Raiz) Uma série que você vai assistir ainda esse ano, uma que te marcou em 2017 e mais uma que você começará a ver no próximo ano.

---> Série que ainda vou assistir esse ano:


---> Série que me marcou em 2017:


---> Série que vou começar a ver em 2018:


4. (Estrela) Um quote que te marcou esse ano?


Todo dia é um recomeço. Todo dia eu renasço. Todo dia eu me levanto. Todo dia eu não desisto. Todo dia eu vivo como se não tivesse todos os dias."
Sorrisos Quebrados - Sofia Silva
Feliz Natal, gente!!!

22 dezembro 2017
RESENHA: Sorrisos Quebrados - Sofia Silva

RESENHA: Sorrisos Quebrados - Sofia Silva

Sorrisos Quebrados
Sofia Silva
Editora: Valentina
Ano: 2017
Páginas: 232
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Sorrisos Quebrados gira em torno de três personagens: a jovem Paola, a pequena Sol e seu pai, André. Os três são vítimas de violências distintas, que deixaram marcas profundas em cada um. Trata-se de uma história de superação de dores, magia, estrelas e de como importantes laços humanos podem se formar a partir da autoaceitação, da arte e da tolerância no cotidiano.
 



   Já fazia bastante tempo que eu queria ler esse livro e confesso que parte do meu desejo vem dessa capa maravilhosa. Se eu fizer um ranking das capas mais bonitas que já vi, Sorrisos Quebrados de certeza vai estar entre as melhores. Comprei no dia da Black Friday na loja física da Americanas assim que saí de uma prova importante. Como estudo em um polo (meio shopping), a Americanas é 1 minuto da minha sala e eu fui comprar comida. Acabei me deparando com esse livro com 50% de desconto e, por incrível que pareça, era pra eu comprar naquele momento mesmo pois ele custava 12,50 e eu só tinha 13,00 no bolso. Deixei de comer? Deixei, mas valeu a pena DEMAIS!

"Todo dia é um recomeço. Todo dia eu renasço. Todo dia eu me levanto. Todo dia eu não desisto. Todo dia eu vivo como se não tivesse todos os dias."

   Em Sorrisos Quebrados, Sofia Silva conta de forma muito emocionante a história de Paola, uma jovem que passava por problemas em seu casamento que acabaram levando à violência doméstica. Isso faz com que ela fique com problemas sérios psicológicos e com cicatrizes permanentes que sempre a lembrarão que sobreviveu, e isso significa uma nova chance. Na clínica onde Paola mora, ela acaba conhecendo Sol, uma criança que é extremamente amorosa, mas que passou por uns maus bocados que acabaram a transformando completamente. O amor à arte, as tintas e a superação uniu Paola e a pequena Sol que de quebra leva seu pai, André, a adentrar no mundo maravilhoso de Paola, onde as cores dão vida a cada momento de felicidade e tristeza.

20 dezembro 2017
RESENHA: O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry

RESENHA: O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry

O Pequeno Príncipe
Antoine de Saint-Exupéry
Editora: Agir
Ano: 1943 (edição de 2015)
Páginas: 96
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Livro de criança? Com certeza. Livro de adulto também, pois todo homem traz dentro de si o menino que foi. Como explicar a adoção deste livro por povos tão variados, em tantos países de todos os continentes? Como explicar que ele seja lido sempre por tanto milhões e milhões de pessoas? Como explicar a atualidade deste livro traduzido em oitenta línguas diferentes? Como compreender que uma história aparentemente tão ingênua seja comovente para tantas pessoas? O Pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância. De repente retornam os sonhos. Reaparece a lembrança de questionamentos, desvelam-se incoerências acomodadas, quase já imperceptíveis na pressa do dia a dia. Voltam ao coração escondidas recordações. O reencontro, o homem-menino.


       O livro mais falado de todos os tempos. Aquele que todo mundo deve ler na vida. O Pequeno Príncipe é um ícone entre os livros clássicos e eu não sabia o porquê. Minha única informação sobre ele era que é um livro infantil. Então, já fui lendo com esse pensamento. Porém, é totalmente diferente do que eu pensava e eu terminei não entendendo nada do livro, que se mostrou extremamente filosófico e reflexivo. 

     Nesse livro, conhecemos o Pequeno Príncipe que questiona várias coisas que aparecem em seu caminho e ele visita cada planeta para refletir sobre quem vive neles. Ele faz perguntas à natureza, objetos e a homens e as frases do livro tem significados juntamente com o sentido metafórico atribuido a cada cena do livro.

"Se alguém ama uma flor da qual só existe um exemplar em milhões e milhões de estrelas, isso basta para que seja feliz quando a contempla."

"É preciso exigir de cada um o que cada um pode dar."
 
     O negócio é que eu não entendi nada do começo ao fim. Achei bonitinhas as frases? Algumas sim, óbvio. Pelo menos isso eu entendi, mas não consegui refletir sobre a raposa ou sobre ele estar visitando os países e falando com o pessoal que toma conta. Me senti extremamente burra e até questionei esse meu pouco entendimento da obra em um grupo de leitores do Facebook. Minha publicação deu o que falar e entre mais de 150 comentários, vi pessoas agradecendo por eu ter postado isso, pois tinham vergonha de admitir que não tinham entendido, vi outras dizendo que leram mais de 3 vezes para entender, outras me julgando por não ler lido metaforicamente, mas de tudo isso eu levei pra mim o seguinte: você não é obrigado a entender e/ ou gostar de um livro só porque ele é famoso. Não tenha medo de ser zoado, sério.

"Se eu ordenasse, costumava dizer, que um general se transformasse em gaivota, e o general não me obedecesse, a culpa não seria do general, seria minha."
"É bem mais difícil julgar a si mesmo que julgar os outros."

    Algumas pessoas me fizeram perceber que O Pequeno Príncipe é um livro muito complexo e foi erro do mercado editorial considerá-lo infantil. Ele NÃO é infantil, mas segundo o pessoal que entendeu o livro, ele é essencial pelas lições de vida que contém na obra. Eu não consegui absorver muita coisa, mas tenho certeza que vou reler esse livro daqui a um ano e ver se mudei de opinião. Não podemos julgar o coleguinha por gosto literário nem POR NADA da vida dele, né? Amor no coração, gente. 

   E aí, vocês já leram O Pequeno Príncipe? Entenderam? O que acharam?

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."
18 dezembro 2017
4 livros para te inspirar a viver intensamente

4 livros para te inspirar a viver intensamente

          Resolvi trazer pra vocês como indicação os quatro livros que mais me inspiraram ultimamente e que me fizeram refletir sobre a vida e o quanto ainda temos que passar para crescer espiritualmente, independente das dificuldades. Os livros que vou citar nesse post já foram comentados aqui no blog (menos um), mas vou tentar dar uma resumida geral da resenha que escrevi de cada um, de forma que fique simplificado o porquê de esses livros serem tão importantes. 

1. Recomeço - Cat Patrick


Tudo começou com um acidente de ônibus. Daisy Appleby era pequena demais para lembrar — tem apenas flashes do acidente que a matou, e de ter sido trazida de volta à vida. A partir daquele momento, ela se tornou uma das catorze crianças que fazem parte de um programa secreto do governo que visa aprovar um novo medicamento: o Recomeço. Daisy já morreu algumas vezes, e a cada morte ela recebe um novo sobrenome, vai para uma nova cidade e ganha uma nova história. A única constante em sua vida é a própria inconstância. Ao conhecer Matt e Audrey, seus primeiros amigos de verdade, após sua quinta morte, ela tenta criar raízes em mais um lar e começa a descobrir segredos sobre o programa Recomeço. Quanto mais informações vêm à tona, mais Daisy percebe que não passa de um peão em um jogo sinistro, que pode revelar que seu mundo — e tudo no ela que acredita — é uma grande mentira.


Gosto desse livro justamente pelo "jogo" que ele faz com a vida, como se a cada recomeço uma parte da Daisy ficasse, mas outras personalidades acabavam construindo sua identidade aos poucos. Também nos faz refletir sobre o tanto que nos apegamos a quem está a nossa volta e o quanto isso é importante. Lembro que esse livro, por mais que seja meio sem nada chocante, me deixou pensativa sobre o experimento que fizeram com a Daisy. Bem Black Mirror mesmo. 

2. Jardim de Inverno - Kristin Hannah


Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma fotojornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas. A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história. Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família… E mudará tudo o que elas pensam que são.


Esse livro foi um dos melhores que li esse ano e na minha vida. Foi extremamente tocante o modo que a autora colocou a importância de viver intensamente e também inserir junto disso as complicações e traumas do passado e o quanto isso pode influenciar no modo que você vive sua vida. Acho que vou levar muito do que aconteceu com a mãe das meninas, Anya, que descobrimos no livro que sua história é bem mais triste do que aparentava na sinopse do livro. Chorei rios e solucei demais com esse livro e com certeza é uma lição de vida daquelas. 

3. 826 Notas de Amor Para Emma - Garth Callaghan

Uma história de amor comovente de um pai por uma filha. Pouco depois de Emma completar 12 anos, seu pai, Garth Callaghan, descobriu que tinha câncer de rim. Determinado a fazer do tempo que lhe restava relevante, ele compilou diversos valores para auxiliar sua filha até a formatura do Ensino Médio. Garth começou a escrever seus recados em guardanapos quando Emma ainda estava nos primeiros anos de escola. À medida que a filha foi crescendo, suas notas tornaram-se mais significativas. 826 notas de amor para Emma é um relato familiar inspirador, repleto de amor e sabedoria. No início de cada capítulo, Garth apresenta um dos recados de guardanapo para, em seguida, compartilhar uma história ligada àquela mensagem e à sua própria vida. Com olhar sensível e sábio, Garth consegue confortar os corações e tocar as almas dos leitores.

Desse livro eu tirei muita força do autor, que realmente viveu o que disse no livro. É um autobiográfico mesmo e é incrível como a positividade de Garth, mesmo ele tendo sofrido muito, chega até nós e nos faz repensar nossos atos e claro: zelar por quem está ao nosso lado antes de qualquer coisa. Nós somos um reflexo de quem convivemos sim! 

4. Quase Uma Rockstar - Matthew Quick


Desde que o namorado da mãe as expulsou de casa, Amber Appleton, a mãe e o cachorro moram em um ônibus escolar. Aos dezessete anos e no segundo ano do ensino médio, Amber se autoproclama princesa da esperança e é dona de um otimismo incansável, mas quando uma tragédia faz seu mundo desabar por completo, ela não consegue mais enxergar a vida com os mesmos olhos. Será que no meio de tanta tristeza e sofrimento Amber vai recuperar a fé na vida?

Esse livro foi o que eu mais me identifiquei até hoje em meus 18 anos de vida. Muito da minha vida está estampado nele, então ver a protagonista passar pelo que passo e ter os mesmos pensamentos e questionamentos sobre fé e Deus, me fez perceber que não estou sozinha e que a literatura nos proporciona essa sensação linda de afeto mesmo. Me vi em Amber e ela me inspirou a ter fé que a fé volta e que eu não preciso me sentir culpada como se estivesse devendo algo à Deus. Ele nos entende e nos ama bem do jeito que somos e não é Ele quem vai nos julgar por duvidarmos da existência Dele nos momentos mais delicados, mas nós mesmos que nos julgamos. Parei de me julgar e passei a entender tudo da minha vida como uma etapa que eu preciso passar para crescer espiritualmente. Devo muito disso à esse livro.  
16 dezembro 2017
RESENHA: O Diário de Anne Frank - Anne Frank

RESENHA: O Diário de Anne Frank - Anne Frank

O Diário de Anne Frank
Anne Frank
Editora: Geek
Ano: 1947 (edição de 2017)
Páginas: 239
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: No auge da Segunda Guerra Mundial uma garota ganha em seu aniversário de 13 anos um caderno de autógrafos. Tinha um fecho, capa dura de tecido xadrez vermelho e branco. O nome da garota era Anne Frank e ela gostava muito de escrever. Por isso, transforma o caderno em um diário. Menos de um mês depois, Anne, a irmã Margot e os pais vão para um esconderijo secreto, onde passam mais de dois anos, com outras quatro pessoas, para não serem enviados para um campo de concentração. Os nazistas acharam o esconderijo e o grupo não escapou do holocausto. Anne, que era judia, morreu pouco antes de fazer 16 anos. Porém, o diário onde foram narrados os momentos sobre a vida de Anne Frank e as acontecimentos vivenciados no anexo secreto sobreviveu ao tempo. Foi publicado pela primeira vez em 1947 e se tornou um dos livros mais lidos do mundo, traduzido para mais de 60 idiomas.


   Claramente um dos melhores livros que já li na vida, top 5, com certeza. Creio que ele possa disputar com Novembro, 9 como a melhor leitura de 2017. Sempre quis ler O Diário de Anne Frank, mas nunca tinha tido a oportunidade de comprar até a Bienal de Pernambuco desse ano. Vi que estava por apenas R$ 10 e aproveitei. Ele faz parte não só da minha Meta de Leitura do Skoob como também do projeto Rory Gilmore Books Project, em que temos que ler os mais de 300 livros citados na série Gilmore Girls. Anne Frank se tornou minha amiga e eu nunca vou esquecer do quanto ela me inspirou.

"Por isso que escrevo um diário. É para eu fazer de conta que tenho uma grande amiga. A este diário que vai ser minha grande amiga, vou dar o nome de Kitty."

    O Diário de Anne Frank é literalmente o diário que Anne Frank escreveu enquanto se escondia dos nazista com sua família e alguns conhecidos em um esconderijo. Ela relata acontecimentos diários, atualizações sobre a Segunda Guerra Mundial e também compartilha com Kitty, o diário, seus medos, anseios, vergonhas e orgulhos. Nos quase 2 anos registrados por Anne, vemos o quanto ela cresceu e nos ajudou a crescer espiritualmente. 

    Eu sabia que ficaria mal depois que lesse esse livro, mas não sabia que ficaria TÃO mal. Não, não. Se você ainda não leu e tem medo de ler por ser muito triste, não se preocupe. É triste sim, mas, infelizmente, Anne teve sorte por conseguir se esconder por tanto tempo. Tantas milhares de pessoas  foram capturadas e levadas para campos de concentração que é impossível falar do Holocausto sem ficar mal. Mas Anne é única. Ela te inspira de um jeito paranormal. Ela começa a escrever o diário bem monótono mesmo sobre alimentação, a vida reclusa, dificuldades, momentos engraçados em família. 
14 dezembro 2017
RESENHA: Princesa Mia (O Diário da Princesa #9) - Meg Cabot

RESENHA: Princesa Mia (O Diário da Princesa #9) - Meg Cabot

Princesa Mia
Meg Cabot
Editora: Galera Record
Ano: 2008
Páginas: 304
Adicionar no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Mia precisa discursar em um baile de gala da Domina Rei, uma sociedade de elite, cheia de poderosas mulheres de negócios. O que diabos ela teria a dizer? Agora que o namorado terminou com ela de vez, Mia não consegue sair da cama, sua melhor amiga a odeia e todas as suas roupas estão ficando apertadas. Para piorar, está sendo obrigada a ver um terapeuta, Lana Weinberg agora quer ser sua melhor amiga, e Mia descobre o diário de uma antepassada, com revelações que podem mudar o destino da Genovia para sempre. Como uma princesa poderia resolver tantos problemas?


ESTA RESENHA NÃO CONTÉM SPOILERS DOS OUTROS LIVROS DA SÉRIE

       Eu nem tinha blog quando li a maioria dos livros da coleção O Diário da Princesa de Meg Cabot, mas isso não significa que eu não tenha reservado um lugarzinho aqui pra ela também, principalmente quando não li todos os livros. Essa série é certamente a mais longa que já li até agora e lembro que devorei os oito primeiros livros de uma vez só de tão gostosos de ler. A Meg Cabot é mestre em escrever chick-lits e YA mesmo né? Resolvi que iria sim ler Princesa Mia em 2017 e por isso coloquei na minha Meta de Leitura do Skoob. Chegou a hora de falar o que achei desse livro fofo!

"Às vezes, na vida, a gente cai em buracos dos quais não conseguimos sair sozinhos. É pra isso que os amigos e família servem - para ajudar. Mas eles só podem ajudar se você informar a eles que está pra baixo."

        Nesse livro, Mia Thermopolis, a princesa de Genovia, que vive uma vida normal em Nova York, entra em um momento depressivo de sua adolescência por causa de um término de namoro e uma amizade desfeita. Ela precisa lidar com seus pensamentos tristes e ainda assim se descobrir como pessoa e princesa. Ela precisa discursar em um baile de gala e mal sabe que todos os últimos acontecimentos da sua vida levaram a uma grande descoberta acerca de Genovia.
12 dezembro 2017
RESENHA: The Kiss Of Deception - Mary E. Pearson

RESENHA: The Kiss Of Deception - Mary E. Pearson

The Kiss Of Deception
Mary E. Pearson
Editora: DarkSide Books
Ano: 2016
Páginas: 406
Adicione no Skoob - Compre aqui
Sinopse: Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro? Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante o lugar perfeito para recomeçar ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. O que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e está desesperadamente à sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrará perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor.
 

      Talvez The Kiss Of Deception seja um dos livros que eu mais li e ouvi falar em 2017. Nada como ler no final do ano, quase fechando com chave de ouro as leituras. Não imaginava que o livro seria como foi e ao mesmo tempo esperava mais da narrativa, mas ainda assim a leitura foi para um lado mais misterioso do que ficcional, o que me fez gostar bastante. 

"Pode-se levar anos para moldar um sonho, mas é preciso apenas uma fração de segundo para despedaçá-lo."


      Em The Kiss Of Deception conhecemos Lia, a Primeira Filha de Morrighan, que devido a acordos comerciais do Reino de Morrighan com o Reino de Dalbreck, precisa casar-se com um príncipe de Dalbreck. No dia do casamento de Lia, ela e sua melhor amiga Pauline realizam o maior plano de suas vida: uma fuga. Elas passam dias plantando pistas falsas que escondam seu verdadeiro destino. Quando finalmente se situam em Terravin, Lia não é mais uma princesa e sim uma garçonete em uma taverna. É lá que ela conhece dois cavalheiros que disputam pelo seu coração: Kaden e Rafe. Enquanto isso, um assassino fora enviado de Venda para matar Lia. Em quem ela deveria confiar agora? 

      Eu já tinha tentado ler The Kiss Of Deception muitos meses atrás, mas o começo totalmente sem sentido me fez desistir. Não sei o motivo, mas a autora fez com que o começo só fosse explicado depois de vários capítulos e eu fiquei sem entender até que pelo menos o livro se desenvolvesse. Mas, apesar disso, a cada capítulo as narrações diferentes se intercalam, dando varias visões do que está acontecendo. A sacada da autora foi genial, sinceramente. Até pensei que eu tivesse pulado alguma informação importante porque de repente eu já não sabia quem era quem no livro.
09 dezembro 2017
Revisando minhas metas para 2017

Revisando minhas metas para 2017

Imagem relacionada
Foto: Tumblr

         Resolvi trazer algo diferente aqui pro blog em relação a minhas metas pra esse ano de 2017 que está quase no fim. Bem, em 2016 postei aqui no blog algumas coisas que gostaria que acontecessem nesse ano e agora chegou a hora de ver se realmente consegui e o que consegui e porque não consegui algumas.

AS METAS EM VERDE FORAM CUMPRIDAS, AS EM VERMELHO NÃO

Pessoais

Reclamar menos (por favor)
(Concluído com sucesso. To bem, to zen)
Respeitar mais
(Sim, senhor)
Ser mais saudável
(Depois que passei na faculdade, me mudei e passei a morar com uma amiga, é IMPOSSÍVEL ser saudável. Universitários não são saudáveis!!!)
Cuidar mais da minha saúde (Já disse: IMPOSSÍVEL)
Aproveitar esse ano para me cuidar e fazer a cirurgia de estrabismo (vem, coragem)
(Não fiz porque tive pouco tempo de férias em Julho e não daria pra ter repouso. Vem, Janeiro!)
Tentar deixar meu cabelo hidratado principalmente se ainda estiver rosa
(Passei pela transição capilar então hidratação é meu nome do meio)
Estudar até passar e não para passar
(Estudei e passei <3)
Ser mais educada com as pessoas
(Sim, obrigada)
Mostrar mais minha opinião tanto pessoalmente quanto aqui no blog
(Fiz isso bastante esse ano. Tanto que algumas vezes achava que estava sendo demais até)
Fazer um Caderno da Gratidão (escrever uma listinha das coisas boas diárias a partir do dia 1)
(Tive preguiça de escrever, gente)
Fazer um Pote da Gratidão (escrever a melhor coisa do dia em um papel e colocar em um pote a partir do dia 1)
(Tive preguiça de escrever, gente 2)
Fazer um Bullet Journal (um moleskine em que eu possa escrever minhas tarefas diárias que preciso realizar e também as futuras)
(Não vivo se não escrever o que devo fazer no dia seguinte mais)
Guardar em um pote tudo que eu quero para 2017 e abrir apenas em 2018 e ver o que consegui.
(Fiz isso e vou postar os papeizinhos no meu Instagram (@proximaprimavera))
Conseguir me exercitar direitinho esse ano (na academia amém)
(Fiz academia por um mês e aí fui aprovada na UFPE e comecei a ser o contrário de saudável)
Fazer trabalho comunitário
(Fiz estágio não remunerado que era com projetos sociais e como não recebo nada, considero nesse ponto)
Colocar minhas séries em dia (preciso)
(Coloquei a maioria que precisava)
Conhecer novas séries
(MUITAS!)

06 dezembro 2017
RESENHA: O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares - Ransom Riggs

RESENHA: O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares - Ransom Riggs

O Orfanato da Srta Peregrine Para Crianças Peculiares
Ransom Riggs
Editora: Leya
Ano: 2015
Páginas: 336
Adicione no Skoob - Compre aquiSinopse: A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo - por mais impossível que possa parecer - ainda podem estar vivas.

       A leitura desse livro foi algo que sempre quis fazer, mas tive minhas dúvidas por ser fantasia e eu não estar muito acostumada a ler esse gênero. Fui com fé me baseando nas resenhas e indicações que li e mergulhei no universo de Ransom Riggs, ficando totalmente envolvida na história. Já espero ansiosamente pela minha leitura dos próximos livros. 

"Essa era a ilha encantada; essas eram as crianças mágicas. Se eu estava sonhando, não queria mais acordar. Pelo menos, não por um bom tempo."

      O livro é narrado em primeira pessoa por Jacob "Jake", um garoto de 16 anos que desde pequeno cresceu ouvindo histórias do seu avô sobre o período em que ele viveu no País de Gales, em um orfanato. O que encantava Jacob, no entanto, era a fantasia envolvida nas histórias de ninar com monstros e crianças peculiares que podiam levantar uma pedra grande e pesada e até mesmo voar. Quando o avô de Jacob morre pede que o menino volte ao País de Gales e procure pela dona do orfanato, a Srta. Peregrine, pois as crianças peculiares estariam em perigo. Jacob tem que descobrir se tudo que o seu avô contou era verdade e o porquê de ele ter morrido repentinamente. 

"Só posso dizer que não era o tipo habitual de crianças órfãs, não como as do Orfanato Barnardo, que você vê quando aparecem na cidade para desfiles e coisas assim, sempre têm tempo para conversar. Não, essa turma era diferente. Alguns não sabiam nem falar inglês direito. Ou, para ser bem honesto, não falavam inglês de maneira nenhuma."
01 dezembro 2017
SORTEIO HOJE A FESTA É SUA!

SORTEIO HOJE A FESTA É SUA!


     Geeente, tem sorteio rolando e é dos grande viu?? Vários blogs se juntaram para formar kits de livros e tem muita coisa legal! Quem quer ganhar um presentão desses de Natal?


REGULAMENTO

. As inscrições para o sorteio começarão no dia 01/12/2017 e terminarão no dia 24/12/2017.
.Os participantes devem preencher todas as regras obrigatórias do formulário Rafflecopter. Estas serão conferidas no momento do sorteio e se a pessoa que for sorteada deixar de cumprir alguma, será desclassificada e um novo sorteio será realizado.
.Quando todas as regras obrigatórias forem preenchidas, o formulário Rafflecopter irá abridr as regras opcionais, ou seja, você preenche se quiser e quantas quiser. Todavia, fiquem cientes de que, quanto mais opções você preencher, mais vezes o seu nome estará no sorteio e, então, mais chances você terá de ganhar!
.Na opção “Visit on Facebook” é necessário CURTIR a página.
.O sorteio será realizado no dia 25/12/2017 e os vencedores serão anunciados em até sete dias.
.Os vencedores terão 48 horas para responder a mensagem de um dos organizadores. Se não houver resposta dentro do prazo estabelecido, outro sorteio será realizado.
.Os participantes devem ter endereço de entrega válido em território nacional.
.Cada blogueiro participante terá até 30 dias, após a finalização do sorteio, para enviar o seu respectivo prêmio aos ganhadores. Portanto, os participantes ficam cientes de que, no momento da inscrição, os prêmios serão enviados por pessoas diferentes, de lugares diferentes e em dias diferentes. Sendo assim, o recebimento de todos os prêmios não será no mesmo dia e sim ao longo dos 30 dias estipulados anteriormente. Além disso, poderão ocorrer atrasos por parte dos Correios, isentando os blogueiros desta responsabilidade.
.Os blogueiros também não se responsabilizam por extravios, danos e/ou perdas por parte dos Correios.
.Caso o vencedor informe o endereço incorretamente ou não esteja presente nos momentos de tentativa de entrega, ocasionando no prêmio retornando ao remetente, um novo envio só será realizado mediante pagamento do frete. 


a Rafflecopter giveaway
Kit 01: Eu, Meus Livros e Você (The Kiss of Deception), Capítulo 1 (Roverandom), Excêntrica Garota (Eleanor & Park), Monólogo de Julieta (Eu e Outras), Leituras da Mary (O Amor em Primeiro Lugar). 


Kit 02: Pequena Resenha (Segredos de Uma Noite de Verão), Book Maníacos (Paixão Sem Limites), Arautos de Lettera (Aika - A Canção dos Cinco), Enepalavras (As Mulheres de Van Gogh & Para Educar Crianças Feministas) e Deixa Ela Ler (Kit com 15 marcadores).


Kit 03: La vie est ailleurs (O Milagre), Livro Apaixonado (Como eu Era Antes de Você), Edna Nunes - Escritos (Minha Mente Me Atormenta), Próxima Primavera (Annie) e  Pétalas de Liberdade (Enviada).


Kit 04: Frases Perdidas (Bangalô 2), Coruja Geek (O Pequeno Príncipe), Arsenal de Ideias (Universo Alien), La Lola (Veneno) e 4 You Books Mania (A Menina Que Roubava Livros).


Kit 05: Degradê Invisível (3096 Dias), Viver em Dois Mundos (Soppy), Porre de Leitura e Livros (Corte de Espinhos e Rosas), Distrações (O Menino Que Desenhava Monstros) e Instantes Memoráveis (O Segredo do Best-Seller & O Sétimo Dia).

Além destes, também teremos sorteios no Instagram e no Youtube.

Enfim, esse sorteio não está muito bom? Se você concorda, participe, cruze os dedos e boa sorte! 

por aqui...

algumas parcerias e informações