Clarissa Assis

20 primaveras, leonina e persistente. Estuda Comunicação Social, é apaixonada por livros, música, séries e culturas. Não gostava de chá, mas agora seu passatempo favorito é ler um bom livro tomando uma xícara de chá fumegante e meias fofinhas nos pés.

@proximaprimavera

Melhores fantasias de Halloween dos famosos

           


        Faltam poucos dias para o Halloween e mesmo que essa data não seja comemorada não Brasil, a gente só observa os famosos se vestindo de personagens lendários ou invenções loucas. Ficamos na vontade de pedir doces ou travessuras também, mas é assim mesmo. E é por isso que eu trouxe aqui as fantasias mais bizarras dos famosos. Eu ri em algumas e em outras fiquei bem chocada mesmo haha. Comecemos pela Katy Perry na foto acima. Alguém aí já pensou em uma fantasia de Cheetos humano? Vamos inovar minha gente! 


A Chloe Grace Moretz se vestiu de bruxa de terror (sei lá) clássica mesmo. A Vanessa Hudgens foi fofa e preferiu ir de anjo. Muito fofa! Já a Poppy Delevigne foi de uma Arlequina bem Madonna haha.


Saiba mais sobre clonagem humana com Orphan Black


          Você já ouviu falar de Orphan Black? Provavelmente sim, se você adora dar umas espiadas de vários minutos pelo Netflix. Eu acabei a série (tem 4 temporadas) já faz uns 3 meses e eu sempre ficava adiando a falar sobre a série por aqui por ela ser bem complexa de se explicar. É complexa porque é sobre a clonagem e muuuuitos termos científicos são usados que assim eu não sei explicar pra vocês. Mas isso não tira a qualidade da série e nem muito menos a deixa complicada de entender. Ela é como qualquer outra série, nada complicado. Agora o que me deixou de queixo caído foi descobrir como funciona realmente uma clonagem e ver isso em humanos na série foi bizarramente incrível. 

Resultado de imagem para orphan black
Em Orphan Black, Sarah Manning tem sua vida virada de cabeça pra baixo quando volta à sua cidade natal depois de ter fugido. Ela é uma viciada em drogas que fugiu para se afastar de sua filha pequena por causa das más influências que ela carregava, acabou a deixando com sua mãe. Quando Sarah volta, ela acaba presenciando um suicídio e o fato mais intrigante é que assim que a moça ia se matar, Sarah pôde ver que ela era exatamente sua sósia. Iguaizinhas. Essa moça era Elisabeth (Beth) Childs, uma policial investigativa muito importante que até então ninguém sabia que tinha morrido. Sarah aproveitou a oportunidade e fingiu sua morte, usando o corpo de Sarah alegando ser o seu. Sarah estava oficialmente morta e agora ela seria Beth Childs, uma policial. Logo Sarah (tentando ser Beth), descobre que ela guardava um segredo enorme que talvez tenha sido a causa de sua morte. Sarah e Beth eram experimentos científicos, ambas clones. E elas não eram as únicas. Dezenas de outras iguais eram iguais á elas. Beth, Alison e algumas outras tinham um clube que foi descoberto por Sarah enquanto fingia ser Beth. É aí que a série começa. Uma tentativa de achar a pessoa quem as clonou, por quê fez isso e por quê só Sarah podia ter filhos se nenhuma das outras clones podiam.


Eu sabia que iria gostar da série assim que li a minúscula sinopse no Netflix. Gosto dessas séries que tem conteúdo interessante e eu como previsto, me apaixonei perdidamente. Principalmente pela Tatiana Maslany, essa atriz MARAVILHOSA que conseguiu ser dezenas de personagens com personalidades diferentes e fazer eu gostar de cada uma delas. Parece as atrizes realmente são clones, de jeito nenhum parece ser a mesma atriz!



Essa aí é a Sarah Manning. A principal da série e a que fortalece a união de todas as clones. Temum estilo maravilhoso além de uma coragem sobrenatural. Essa mulher é badass!!! 

             

Essa aí é a filha da Sarah...

O que Patch Adams de O Amor É Contagioso me ensinou

Tenho que confessar que nem sabia que falaria desse filme hoje. Primeiramente porque eu nem sabia que iria assistir. Nem sabia da existência dele, porém confesso que eu já havia visto essa foto acima em algum blog. Patch Adams - O Amor É Contagioso, foi com certeza um filme que eu n…

RESENHA: Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática - Thalita Rebouças

Eu literalmente não consegui esperar para escrever essa resenha. Confesso que eu nunca tinha lido um livro da Thalita Rebouça antes. Eu já até tinha tentado ler a parte dela no livro Um Ano Inesquecível (que ela escreveu com a Bruna Vieira, Babi Dewet e Paula Pimenta), mas não consegu…

5 lugares que eu sonho em conhecer

Acho que todos nós temos uma lista de lugares que amamos. Pode ir dos mais clássicos até mesmo algum lugar histórico e abandonado. Temos desejos de sobra e o que falta? Dinheiro! Viagens como essa são acima dos 7/8 mil reais (ou dólares!!) e aí é um pouco difícil. Ficamos namorando as image…

The O.C e a desigualdade social

Eu estava lindamente morrendo de vontade de escrever esse post a série The O.C que foi adicionada essa semana no Netflix. Faz muito tempo que ouvi falar dessa série por várias indicações, mas eu sempre deixava pra depois porque né é bem chato ficar assistindo série online com um monte de propagand…

Todos ao seu redor tem uma história que o mundo precisa ouvir

Você já parou pra pensar nisso? Creio que não. Eu mesma posso dizer que eu nunca havia parado pra refletir no tanto de histórias que cada um tem pra contar até assistir uma palestra no TED ontem (está na minha lista de 101 coisas em 1001 dias). Para quem não conhece, o TED Talks é um ó…

RESENHA: A Garota do Calendário (Janeiro) - Audrey Carlan

Uns dois dias atrás eu resolvi ler esse livro pelo ebook mesmo porque eu li inúmeras resenhas sobre ele em blogs e até já vi em prateleiras das melhores livrarias. Confesso logo de cara que aumentei minhas expectativas ao máximo e acabou sendo nada que eu esperava.

Mia Sauders prec…

4 filmes de terror (que não dão medo) para assistir esse mês!

Acho que todos gostam de aproveitar o mês do Halloween (que não saímos nas ruas pedindo doces ou travessuras e nem nos fantasiamos) pra assistir filmes e terror. Teve um Halloween aí que acho que foi de uns dois anos atrás que eu resolvi que assistiria sozinha Invocação do Mal, be…